PV de São Paulo Convida para debater sobre acordo mercosul e União Europeia

Na segunda-feira (19/8), às 19 horas, o Diretório Municipal do Partido Verde da Cidade de São Paulo promoverá o primeiro debate aberto ao público sobre as perspectivas do acordo entre o MERCOSUL e a União Europeia. Local: Sede do PV Estadual. Avenida Nove de Julho, 3786, Jd. Paulista.

Palestrantes: Eduardo Jorge, médico sanitarista; Fábio Feldmann e Maurício Brusadin, ex-secretários de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. A mesa será mediada pelo Presidente Municipal do PV, Roberto Tripoli.

O objetivo deste debate visa responder se diante do tão sonhado acordo comercial será possível colocar um freio na atual política ambiental promovida pelo governo federal.

Diante dos horizontes de abertura comercial, o agronegócio moderno exigirá que o governo acabe com o desmatamento ilegal e proteja a Amazônia? Diante de uma
Europa que se preocupa com a emergência climática, o acordo permitirá que o governo brasileiro incentive o uso de energias renováveis e de biocombustíveis?

Essas são algumas das questões que serão abordadas no encontro. A ideia é que o diagnóstico e o prognóstico debatido sejam parte de um documento que será enviado para os verdes europeus e latino americanos, com o objetivo de construir um canal de diálogo entre os parlamentares do parlamento europeu e dos países membros, visando estabelecer uma troca de informações que subsidiem a tomada de decisão dos Partidos Verdes de todos os países do MERCOSUL e da União Europeia, sobre o acordo MERCOSUL/UE.

Após 20 anos de negociação finalmente a União Europeia e o MERCOSUL chegaram ao tão esperado acordo de livre-comércio. Mesmo com o anúncio, ainda existe um longo percurso pela frente, pois o acordo precisa ser ratificado pelo Parlamento Europeu e pelo Congresso Nacional de todos os países membros.

Com o objetivo de conter o avanço das mudanças climáticas, o acordo entre a União Europeia e o MERCOSUL conta com um capítulo destinado ao desenvolvimento sustentável, que obriga todas as partes a cumprir estritamente as condições do acordo climático de Paris.

Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu, o Partido Verde surpreendeu, ocupando 75 dos 751 das cadeiras, representando a quarta maior força da legislatura que vai de 2019 a 2024.

O Partido Verde brasileiro está acompanhando com um olhar crítico a atual política ambiental implementada pelo Governo Bolsonaro. O afrouxamento na fiscalização ambiental provocou a elevação do desmatamento na Amazônia. Em outra frente, o PV entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal contra a liberação de agrotóxicos.

A radical mudança da política ambiental implementada pelo governo Bolsonaro coloca em risco a aprovação do acordo comercial entre o MERCOSUL e a União Europeia. Sem reverter os atuais retrocessos, os verdes europeus prometem dificultar a aprovação do texto.