Bate Papo com Gilberto Natalini

unnamed




Debate na Rede TV Natalini Governador 43

DEBATE-REDE-TV 128




Entrevista com o candidato do PV ao Senado,Kaká Werá




Eduardo Jorge propõe fim do acordo nuclear Brasil-Alemanha

1Eduardo-Jorge-propoe-fim-do-acordo-nuclear-Brasil-Alemanha8 de novembro de 2014 é a data limite para o governo brasileiro solicitar a não renovação da cooperação Brasil-Alemanha para energia nuclear

Nesta quinta feira, 04/09, Eduardo Jorge, candidato do PV a presidente, protocola em Brasília pedido de audiência com a Presidente Dilma Rousseff e com o Embaixador da Alemanha no Brasil, Dirk Brengelmann, propondo a não renovação do Acordo de Cooperação Brasil-Alemanha na área de energia nuclear. Assinam os pedidos de audiência, além de Eduardo Jorge, Chico Whitaker – membro da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares – e Greenpeace Brasil. Os pedidos serão protocolados no Palácio do Planalto às 9h30 e na Embaixada da Alemanha às 12h.

O Acordo foi assinado em 27 de junho de 1975, no auge da ditadura militar brasileira, e entrou em vigor em 18 de novembro daquele mesmo ano, com validade de 15 anos. Além de cooperação científica, o contrato prevê o uso da tecnologia alemã para construir, no Brasil, até oito usinas nucleares, uma usina de reprocessamento de combustível atômico e outra de enriquecimento de urânio. A cada 5 anos, se nenhum dos dois países denunciar oficialmente o tratado, até um ano antes da data prevista para sua revalidação, o Acordo é automaticamente renovado. Até 18 de novembro de 2014, portanto, é possível romper o Acordo, para que esteja extinto a partir de 18 de novembro de 2015.

“Este alerta me foi dado pelo Chico Whitaker, quando participei do Fórum Social Temático de Energia em agosto deste ano. É inadmissível que o Brasil, com todo este potencial de geração de energia solar, permaneça investindo em energia nuclear”, define Eduardo Jorge. “O PV defende a energia solar como a mais importante fonte de energia para o futuro. Queremos estabelecer metas para sua utilização em todo o país. Em dez anos a energia solar vai ser competitiva em 80% do território”.

Segundo informações da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares, o Acordo Nuclear representou cerca de um terço da nossa dívida externa, no início dos anos 80 e gerou usinas que fabricam menos de 2 % de toda a eletricidade produzida no País, apesar de ter custado cerca de 14 bilhões de dólares. Em 2004, o Brasil aceitou a proposta do Governo Alemão para substituir o Acordo Nuclear por outro, centrado em fontes renováveis. Mas, só quatro anos depois, em 2008, a negociação foi concluída e assinado o Acordo de Cooperação no Setor de Energia, com Foco em Energias Renováveis e Eficiência Energética, que está indo num ritmo muito lento.

Os que assinam esse pedido de audiência julgam que esse novo acordo, que deve substituir totalmente o antigo acordo feito na ditadura militar, deve tomar outra proporção: uma aliança estratégica de longo prazo entre Brasil e Alemanha, principalmente em torno da pesquisa, implantação e exploração da energia solar no nosso território, de maneira que uma união Brasil e Alemanha nesse campo possa coloca-los numa posição de vanguarda mundial nesse tipo de energia que vai ser a mais importante para a humanidade nas próximas décadas, em condições de concorrer em pé de igualdade com a China e com o EUA e se tornar um polo de difusão dessa tecnologia para países de todo o mundo, principalmente da África e da América do Sul.

Em 2011, a Alemanha declarou que desligará todas as usinas atômicas de produção comercial de eletricidade até 2022. O governo justifica a decisão alegando problemas de insegurança. O colapso de Fukushima – até hoje fora de controle prova que a energia nuclear tem riscos muito grandes. Além disso, comparada a outras fontes, ela não é competitiva, devido aos altos custos de construção, do encerramento da operação das indústrias e do controle do lixo nuclear.

O perigo atômico não se limita às usinas. Ele está presente em todo o ciclo de produção dessa energia (na mineração, no transporte, nos reatores de pesquisas, nas usinas de enriquecimento e de produção do combustível e na questão insolúvel da guarda do lixo radioativo). Os acidentes, cada vez mais graves, provam a insegurança desta tecnologia, que nunca poderá ser considerada “limpa”, porque gera graves e insolúveis impactos sociais e ambientais no presente, ameaçando as futuras gerações.

Fonte: http://www.eduardojorgepv.com.br/

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo9




Papo Reto com Natalini

papo reto1

Na próxima 4ª feira, às 20h30, Natalini Governador 43 vai ter um Papo Reto na web, transformando seus 57 segundos de Programa Eleitoral em 1h de bate papo com os internautas. Acompanhe através do site www.natalini.com.br e interaja nas redes sociais, através da #gilbertonatalini43

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Partido Verde confirma Eduardo Jorge em debate no SBT

01-09-2014

Nesta segunda-feira, 1º de setembro, o SBT levará ao ar, a partir das 17h45, o segundo debate entre os candidatos à Presidência da República. A iniciativa é uma parceria entre o SBT, o portal UOL, a rádio Jovem Pan e o jornal Folha de São Paulo. O debate será levado ao ar até às 19h25, totalizando uma hora e 40 minutos de duração.

Confirmaram presença no debate os candidatos Eduardo Jorge (PV),  Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Aécio Neves (PSDB), Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL) e Levy Fidelix (PRTB). A mediação caberá a Carlos Nascimento, âncora do SBT Brasil.

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Cópia de Comitê do PV na capital abrigará campanhas majoritárias

Comite-do-PV-na-capital-abrigara-campanhas-majoritarias

Os Verdes de São Paulo estarão reunidos na próxima sexta-feira, dia 29/8,  no Comitê Nacional de Campanha, para confraternizar mais um momento da campanha eleitoral de 2014.

Os candidatos majoritários (Eduardo Jorge, Gilberto Natalini e Kaká Werá), juntamente com dirigentes do núcleo estadual e nacional da legenda, estarão recepcionando convidados para a apresentação do Comitê que abrigará as campanhas presidencial, ao Governo de SP e ao Senado e que servirá também de base de apoio para todos os candidatos das listas proporcionais.

A solenidade contará com a presença de todos os membros da executiva nacional sediados em São Paulo, dirigentes estaduais, candidatos e deputados estaduais e federais eleitos pelo PV-SP, além de um número expressivo de prefeitos, vereadores e ativistas vindo de diversas cidades do interior e da região metropolitana da capital.

Serviço:

Inaguração do Comitê de Campanha dos candidatos majoritários do Partido Verde

Data: 29/08/2014 – 19h00

Local: Av. Rebeuças, 1974 – São Paulo – SP

Estacionamento amplo (McDonald) a menos de 100 mts do local (aceita cartão), localizado na esquina da Av. Brasil com Av. Rebouças.




Candidato a governador do Partido Verde no debate do SBT

Candidato-a-governador-do-Partido-Verde-no-debate-do-SBT

Em parceria com o UOL, Folha de São Paulo e Jovem Pan, o SBT fará um debate entre os candidatos a governador de São Paulo nesta segunda-feira. O mediador do evento será o jornalista Carlos Nascimento.

Sete candidatos ao cargo (PSDB, PMDB, PT, PSOL, PV, PRTB e PHS) deverão comparecer aos estúdios da emissora na próxima segunda-feira (25) para apresentarem as suas propostas. O programa terá quatro blocos com três intervalos de cinco minutos.

A transmissão do debate começa a partir das 18h, indo até às 19h45, apenas para o estado de São Paulo. Mas para os demais que quiserem acompanhar, ele será transmitido ao vivo pelo site da Folha de São Paulo, pelo UOL e pela rádio Jovem Pan.

Fonte: SBT

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Eduardo Jorge no Debate Presidencial




Papo reto com Eduardo Jorge

papo reto3

Às vésperas das eleições de outubro é notável a aproximação que as redes sociais vêm promovendo entre os eleitores e os candidatos a cargos públicos, seja denunciando escândalos ou promovendo o discurso político dos presidenciáveis. Em 2014, o cenário brasileiro pré-eleições é muito diferente do de 2010, no qual a televisão e o rádio ainda eram os grandes porta-vozes dos que almejavam um lugar nos espaços públicos de decisão. Para os eleitores essa proximidade pode representar uma vantagem, já que é preciso muita criatividade, jogo de cintura e posturas bem empoderadas para se manter na disputa.

O candidato à Presidência da República pelo Partido Verde, Eduardo Jorge, é uma figura notória pela sua simplicidade e tranquilidade nos debates. Tem conquistado muitos brasileiros com novos posicionamentos políticos e ideias inovadores para uma mudança drástica na política brasileira. É a favor do vegetarianismo, usa bicicleta e outros transportes como formas de locomoção e lançou uma novidade para se aproximar um pouco mais do eleitorado, o “Papo Reto”, debate interativo entre o candidato e os internautas para dialogarem sobre os temas que constam no Programa de Governo ”Viver Bem Viver Verde” e assuntos de interesse dos participantes.

O “Papo Reto” é realizado toda terça, quinta e sábado, a partir das 20h30, com transmissão ao vivo no site do candidato e também na sua página oficial do facebook. O tema abordado em cada programa é decidido pelos próprios internautas que podem votar numa enquete disponível no site do candidato. Eduardo responde às perguntas dos internautas e esclarece seu posicionamento quanto a assuntos que estão na pauta política. Acompanhado de dois colegas, um responsável por dialogar com ele e outro acompanhando movimentações nas redes sociais, o candidato do PV à Presidência tenta tornar seu programa de governo mais conhecido com esse canal de comunicação.

Durante um dos programas, Eduardo criticou a política energética brasileira por seguir uma tendência contrária à dos países desenvolvidos que têm transitado de energias de alto impacto ambiental para outras que afetam menos o meio ambiente. “Temos que investir mais em etanol, biomassa, energia eólica e energia solar, que o Brasil, País mais abençoado dela no mundo, produz 0,01% do total”, declarou.

Outro tema abordado durante um dos programas “Papo Reto” foi o aborto. Após ser citada a notícia do desaparecimento de uma mulher internada em uma clínica para fazer aborto no Rio de Janeiro, Eduardo declarou: “é preciso derrubar essa lei reacionária, machista e contra as mulheres brasileiras”, referindo-se à criminalização do aborto e pedindo uma mobilização popular dos cariocas semelhante àquela ocorrida no sumiço do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, que após ser preso e ficar seis meses desaparecido foi declarado morto pela Justiça.

As reações dos eleitores à criação desse canal de comunicação segue bastante satisfatória. Com um público cada vez mais participativo e preocupado com seu voto, é possível vislumbrar um Brasil diferente não só nos próximos quatro anos, mas para as próximas gerações.

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo