Penna quer OAB e partidos legitimados para propor ação civil pública

Penna quer OAB e partidos legitimados para propor acao civil publica

A Câmara analisa o Projeto de Lei 2.770/2015, de autoria do deputado Penna (PV-SP), que altera a Lei nº 7.347 de 24 de julho de 1985, para conferir legitimidade ativa para propositura da ação civil pública aos partidos políticos e à OAB – Ordem dos Advogados do Brasil.

A ação civil pública é o instrumento processual, previsto na Constituição Federal e em leis infraconstitucionais, que visa reprimir ou impedir danos ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico e por infrações de ordem econômica, protegendo, assim, interesses difusos da sociedade. Os legitimados, atualmente, para propor a ação são o Ministério Público, a União, os estados, os municípios, as autarquias, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e as associações civis.

Penna, em sua justificativa, alega que “a gama de possibilidades de proteção e os efeitos irradiadores no mundo dos fatos quando a solução de casos concretos é atingida pela tutela coletiva por via da ação civil pública justificam o sucesso do uso dessa via processual, ao mesmo tempo em que recomendam a ampliação do rol de legitimados para a sua propositura”.

Para o parlamentar, os partidos políticos e a OAB, em razão de suas próprias características e importância na história da defesa de direitos no Brasil, não podem ficar de fora do rol de legitimados para pleitear a ação civil pública. Ele lembrou ainda que o STJ, ao julgar recurso da OAB contra decisão do TRF da 5º Região, que negou provimento à ação civil pública, apresentada pela seccional da OAB de Pernambuco, contra a demolição de imóvel em Recife com o intuito de proteger o patrimônio histórico, reafirmou a indispensabilidade da entidade na defesa dos direitos da sociedade, e afirmou que não é possível limitar a atuação da OAB em razão da pertinência temática, uma vez que ela corresponde a defesa, inclusive judicial, da Constituição Federal, do Estado Democrático de Direito e da justiça social, o que, inexoravelmente, inclui todos os direitos coletivos e difusos.

Ele esclarece que o mesmo entendimento deve valer para os partidos políticos, ante o seu caráter associativo. “O reconhecimento do caráter associativo dos partidos, por si só, deveria ser o suficiente para garantir a todos os partidos o direito de ingressar, quando necessário, com uma ação civil pública”, ressaltou Penna.

AsCom Liderança do PV na Câmara dos Deputados
Imagem: Arquivo Câmara Federal

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Encontro de Mairiporã apontou ações e soluções para o meio ambiente

Encontro de Mairipora apontou acoes e solucoes para o meio ambiente

Cidades sustentáveis e desafios urbanos, licença ambiental, poluição, crise hídrica e eleições de 2016 foram alguns dos temas discutidos por dirigentes do Partido Verde paulista com novos filiados e militantes, pequenos empreendedores, educadores e ambientalistas. O encontro ocorreu (12/9) no auditório da Câmara Municipal de Mairiporã e contou com a presença de vereadores, como Pretinho (Cajamar), Jessé Loures (Sorocaba), Juvenildo de Oliveira (Nil) e Valdecir Fernandes (Mairiporã), e de secretários de Meio Ambiente de diversos municípios.

Anfitrião do encontro, o prefeito Márcio Pampuri discorreu sobre a visão verde de governar, destacando o projeto “Bosque da Vida” que planta árvores nativas homenageando todas as crianças nascidasdomiciliadas em Mairiporã, e da luta pelo fim do tráfego aéreo na Serra da Cantareira. “Defendemos, junto a mais 27 prefeitos do PV, a criação de fundo estadual ambiental. O Partido Verde se preocupa e investe em ações voltadas ao desenvolvimento humano, social e ambiental”.

Rogério Menezes, secretário do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Campinas, mencionou pontos da Agenda Brasil que podem ser desastrosos ao meio ambiente como o licenciamento na zona costeira e em áreas naturais protegidas para aumentar os investimentos; revisão dos marcos jurídicos de terras indígenas para compatibilizá-las com atividades produtivas; e mudança da Constituição para acelerar o licenciamento ambiental de grandes obras de infraestrutura.

Encontro de Mairipora apontou acoes e solucoes para o meio ambiente2

Rogério Menezes discorreu ainda sobre cidades sustentáveis e sua importância para a humanidade. “Em Campinas, temos várias ações pioneiras como licenciamento ambiental e o Portal Animal que auxilia a população e as ONGs na defesa da causa dos animais. Há o Portal Árvores de Campinas com informações sobre o banco de árvores, plantios, funcionamento do sistema de compensação ambiental, quais os órgãos envolvidos e as vantagens do sistema. Somos a primeira cidade no Estado a fazer relatório ambiental com padrão internacional”.

A criação de um parque ecológico local foi o tema central do arquiteto Antonio Carlos Nery Pinho (Tuna), também Secretário de Meio Ambiente de Mairiporã. Segundo ele, o Pico D’Água sofre queimadas e passa por constantes processos de degradação. “Mais de 80% de Mairiporã está em área de manancial e guarda uma floresta remanescente de Mata Atlântica na Serra da Cantareira. Para garantir a preservação dessa mata, estamos trabalhando para transformar o Pico D’Água em parque ecológico”.

Eleições 2016: montagem de chapas

Encontro de Mairipora apontou acoes e solucoes para o meio ambiente3

Para oxigenar a política local, o PV busca novos nomes com atuação na sociedade, isto é, pessoas que entendam a importância da filiação partidária e estejam dispostas a colocar seu nome para competir à vereança e ao Executivo Municipal – motivo principal do evento.

Sobre o próximo pleito, o dirigente nacional e presidente estadual do PV-SP, Marcos Belizário, argumentou que a intenção é chegar a 500 diretórios municipais ativos no Estado de São Paulo capacitados para lançar chapas completas para prefeito e vereador. “Tanto a Executiva Nacional quanto a Estadual têm feito diversas reuniões para definição de estratégias de modo a eleger um maior número de prefeitos e vereadores”, disse.

“Quero complementar, sobre as falas referentes à crise ambiental e hídrica, que temos tido adesão de vários setores, inclusive da igreja católica, onde o Papa Francisco pede a mudança no estilo de vida, de produção e de consumo”, explanou Belizário.

Carlos Marx, proponente do encontro, coordenador da Bacia 6 e presidente do PV Osasco, discorreu sobre o esforço que tem feito para trazer novos filiados para a sigla. “Nosso desafio é driblar a descrença da população em relação à política. Por outro lado, temos a simpatia das pessoas por conta da nossa ideologia, que é nossa principal ferramenta. Este encontro foi proposto para trazer gente nova para o partido e, principalmente, ouvir cada um de vocês”.

Participantes apontam ações para melhorias ambientais e sociais

No periodo da tarde, Carlos Marx abriu os trabalhos com a presentação de um vídeo, editado por Fernando Gabeira, sobre projeto de Osasco voltado à preservação da água. Destacou três ações de Osasco, reconhecidos à nível nacional e estadual: Projeto Biodiesel Osasco, Projeto Identificação e Revitalização de Minas e Nascentes e Borboletário. Em seguida, o espaço foi aberto à fala dos demais participantes.

Para alguns empreendedores, a solução para a crise hídrica, por exemplo, se houver incentivos dos governos estadual e federal, pode favorecer a criação de novos equipamentos e instalação de sistemas mais eficazes, com soluções inovadoras. Já para os educadores, o ideal é que a educação ambiental seja intensificada em todos os níveis escolares, com formação permanente de docentes, diretores e coordenadores escolares.  Ainda, melhorar e ampliar a produção intelectual, bem como pesquisas e investimento em comunicação para divulgar as boas experiências práticas.

Encontro de Mairipora apontou acoes e solucoes para o meio ambiente4

Para a maioria dos dirigentes do PV e secretários de Meio Ambiente é importante alinhar a agenda política com a agenda da gestão pública. Carlos Alexandre Ribeiro Gomes, secretário de Meio Ambiente de Sertãozinho, apresentou o projeto “Selo Verde – Empresa Sustentável” que valoriza e incentiva empresas que praticam ações voltadas à sustentabilidade socioambiental.

Romildo Campello, secretário adjunto do Verde e Meio Ambiente da cidade de São Paulo, enumerou boas práticas quando secretário em Mogi das Cruzes e citou a importância em documentar e resgatar a história do ambientalismo. “Poucos sabem, mas o projeto Município Verde Azul do Governo Estadual foi proposto pelo PV. Acredito que devemos desenvolver uma ferramenta comum de comunicação onde possamos compartilhar e divulgar nossas melhores ações”.

Vitório Zottino, da ONG Elo Ambiental, discorreu sobre projeto para mapear as nascentes do município de Vinhedo e região, classificá-las e divulgar as informações em site e aplicativo de celular.

Dimas Araujo, do PV Osasco, trabalhador no Ceasa, questionou sobre alimentação natural e uso de agrotóxicos. Sua fala foi complementada por Maristela Leamare, presidente do Centro de Ação Socioambiental de Osasco (Ceaso), que enumerou algumas ações voltadas para a alimentação saudável como implantação de horta comunitária que além de auxiliar na melhoria da saúde humana ajuda a preservar a água e o solo.

Mais de 70 pessoas assinaram a lista de presença, oriundas de 16 cidades: Barueri, Caieiras, Cajamar, Campinas, Guarulhos, Indaiatuba, Itapevi, Itaquaquecetuba, Jandira, Mairiporã, Mogi das Cruzes, Osasco, Pontal, São Paulo capital, Sertãozinho e Sorocaba.

Fonte: Site do PV Osasco – Matéria e fotos – Rosi Cheque.

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




PV cobra ação contra exploração de madeira em área indígena

PV cobra acao contra exploracao de madeira em area indígena

O líder do Partido Verde, deputado Sarney Filho (PV/MA), solicitou ao Ministério da Justiça e ao Ibama que investiguem denúncia do Greenpeace de exploração ilegal de madeira na Terra Indígena (TI) Alto Turiaçu, no Estado do Maranhão, que, além de caracterizar crime ambiental, está ameaçando a sobrevivência do Povo Ka’apor. O parlamentar requereu ainda, ao governador do Maranhão, Flávio Dino, que apoie os órgãos afetos à causa, de modo que a agressão ambiental seja coibida.

“Até 2014, cerca de 8% da Terra Indígena já haviam sido desmatada, isto representa mais de 40 mil hectares. A situação é muito grave e nos preocupa, e precisa, com urgência, ser apurada, com vista a punir os responsáveis e garantir segurança e uma melhor qualidade de vida ao povo Ka’apor”, defendeu Sarney Filho.
 
De acordo com dados do Sistema de Mapeamento da Degradação Florestal na Amazônia Brasileira (DEGRAD), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), entre 2007 e 2013, a degradação da floresta pela exploração ilegal da madeira no interior da Terra Indígena foi de 5.733 hectares.

Conforme a denúncia do Greenpeace, os madeireiros abrem estradas e avançam sobre a floresta em busca das espécies nobres, tais como o ipê, que chegam a ser comercializadas por até 1.300 euros o metro cúbico, quando destinadas à exportação.

O povo Ka’apor vem denunciando, desde 2008, as invasões dos madeireiros, que muitas vezes vêm acompanhadas de violência e mortes. Desde 2013, eles decidiram se defender de forma autônoma, fazendo a própria vigilância do território, buscando evitar a abertura de novos ramais de transporte de madeira ilegal, bem como o processo de desmatamento.
 
De acordo com os indígenas, as ações resultaram em represálias, ameaças e perseguições. Muitas aldeias foram invadidas por madeireiros. Segundo o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), quatro índios Ka’apor foram mortos e outros 15 atentados ocorreram nos últimos quatro anos.

Fonte: AsCom da Liderança do PV na Câmra dos Deputados
Foto: Fabio Nascimento/Greenpeace

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde –São Paulo




Projeto de vereador do PV que obriga condomínios a reaproveitarem água da chuva é aprovado no Câmara de Mogi das Cruzes

Caio Cunha do partido verde

Medida proposta por Caio Cunha, do Partido Verde, reduzirá consumo de água tratada e poderá evitar enchentes.

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou por unanimidade um projeto para obrigar novas construções a implantarem sistema para uso da água da chuva. De autoria do vereador Caio Cunha (PV), o Projeto de Lei Complementar institui que novos condomínios residenciais com pelo menos 10 famílias apresentem, no seu planejamento de construção, um sistema para captação, armazenamento e utilização não-potável de águas pluviais. Só assim poderão obter o “habite-se” e registro na Prefeitura.

A matéria aponta que toda a água da chuva armazenada seja utilizada para regar jardins, limpar áreas comuns e para descarga em vasos sanitários. Dessa forma, as medidas propostas reduzirão o consumo de água tratada e ajudarão a evitar enchentes, ao desafogar o sistema de escoamento.

O atual período de crise hídrica que atinge não só o Alto Tietê, mas todo o estado de São Paulo, coloca em pauta a necessidade emergencial em criar práticas que permitam um desenvolvimento sustentável e a promoção de uma cultura ecologicamente correta. Nesse sentido é que a alternativa proposta pelo vereador Caio Cunha (PV) se revela tão importante. “O grande objetivo, ao propor este projeto, é o de reduzir drasticamente o consumo de água tratada. As consequências positivas são diversas! Como auxiliar na conservação dos recursos hídricos, desafogar os sistemas de tratamento de água, bem como, reduzir o escoamento nas redes de drenagem urbana, o que também contribuirá com a diminuição das enchentes”, esclarece Caio.

A Câmara de Mogi agora tem no máximo 10 dias para encaminhar a proposta ao Executivo e este, por sua vez, terá até 15 dias, contados da data do recebimento, para aprovar ou vetar o projeto de lei.

Fonte: Gabinete do vereador Caio Cunha

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Deputado do PV está entre os onze mais influentes da Câmara Federal

pv 01 09 2015

O deputado federal Sarney Filho (PV-MA), líder do Partido Verde na Câmara Federal, foi novamente incluído na lista dos 100 Cabeças do Congresso Nacional, de 2015, divulgada, nesta segunda-feira 31, pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP). Após ter o seu nome incluído nos rankings anuais durante o seu mandato anterior, Sarney Filho, agora, aparece entre os onze principais “formuladores” da Câmara dos Deputados. O deputado foi o único parlamentar do Maranhão e o único do Partido Verde incluído na nova lista do DIAP.

Entre as categorias de destaque no legislativo, o DIAP identificou como “formuladores” os parlamentares que se dedicam à elaboração de textos com propostas para deliberação, em geral juristas, economistas ou pessoas que se especializaram em determinada área, a ponto de formular sobre os temas que dominam.

“Os formuladores são os parlamentares mais produtivos. O saber, a qualidade intelectual e a especialização, embora não sejam exclusivos, são atributos indispensáveis aos formuladores. O debate, a dinâmica e a agenda do Congresso são fornecidos basicamente pelos formuladores, que dão forma às ideias e interesses que circulam no Congresso. A produção legislativa, com raras exceções, é fruto do trabalho desses parlamentares. Enfim, são eles que concebem e escrevem o que o Poder Legislativo debate e delibera”, define o DIAP.

Sarney Filho afirmou que o reconhecimento de seu trabalho na área socioambiental pelo DIAP “é gratificante, e por certo ajudará a fortalecer uma luta que não tem sido fácil, voltada para o desenvolvimento sustentável, para os direitos humanos, contra a discriminação e pela inclusão social”.

“Somos um grupo pequeno no Congresso Nacional, empenhado na formulação e aprovação de proposições voltadas para garantir melhor qualidade de vida para a população e, ao mesmo tempo, preparar o país para uma economia de baixo carbono, mudança fundamental no século 21, diante da perspectiva de esgotamento dos recursos naturais e das mudanças climáticas”, afirmou Sarney Filho.

Iniciativas

Sarney Filho filiou-se ao Partido Verde no início de 2003. Foi ministro do Meio Ambiente (1999/2002), pasta onde imprimiu importantes reformas em sua estrutura e do IBAMA. Durante a sua gestão, entre outras ações, foi regulamentada a Lei de Crimes Ambientes; criada a Lei do SNUC – Sistema Nacional de Unidades de Conservação; a Política Nacional de Educação Ambiental; a Agência Nacional de Água- ANA; lançada a Agenda 21; implantado o Programa de Combate aos Desmatamentos e Queimadas. Ainda como ministro, foi aprovada a Lei n° 10.400, que criou a Carreira de Especialista em Meio Ambiente e permitiu a criação de mais de 2.300 vagas para Concurso Público, beneficiando os servidores do IBAMA e do Ministério. Foram criadas, ainda, inúmeras unidades de conservação.

Como parlamentar, entre outras iniciativas, criou e presidiu mais de uma vez a Comissão do Meio Ambiente da Câmara; criou a Frente Parlamentar Ambientalista; liderou a discussão e aprovação da Lei de Crimes Ambientais; da Lei de Educação Ambiental; a formulação e aprovação da Lei de Resíduos Sólidos; da Lei do Clima e da Lei da Mata Atlântica. É o autor da Lei Complementar nº 140 que regulamenta o artigo 23 da Constituição sobre a competência da União, Estados e Municípios quanto à proteção, ao uso e à conservação dos recursos naturais e do Projeto Lei Complementar nº 2/2015 que taxa as grandes fortunas. O deputado é autor do Projeto de Lei do Cerrado, PL 25/2015, de conservação da vegetação nativa e utilização sustentável do bioma Cerrado e do Projeto de Lei 6.969/2013, conhecido como Lei do Mar, que estabelece um planejamento espacial marinho e mecanismos que possam promover o uso dos recursos marinhos e costeiros aliados à conservação da biodiversidade. Sarney Filho luta contra o uso de produtos transgênicos, sem a necessária pesquisa sobre os impactos no meio ambiente e na saúde humana, e contra retrocessos na legislação socioambiental na Câmara dos Deputados, como as mudanças no Código Florestal que facilitaram o desmatamento de áreas de Proteção Ambiental e de Reserva Legal e a Proposta de Emenda Constitucional –PEC 215, que transfere do Executivo para o Legislativo a criação e demarcação de terras indígenas.

Assessoria de imprensa do deputado Sarney Filho

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo

 




Coordenadores Regionais se reúnem na sede estadual

Coordenadores Regionais se reunem na sede estadual

Os coordenadores regionais e porta-vozes que atuam nas bacias se reuniram no último dia 26, na sede do PV estadual, dando continuidade a busca de metas visando as eleições municipais de 2016. Além dos porta-vozes e coordenadores, acompanharam os trabalhos os dirigentes estaduais, Marco Belizário, Vera Motta, Arnaldo Juste, Kiko Danieletto, Carlos Marx, Beto Trícoli e Maria Marta, assim como, o deputado estadual, Edson Giriboni.

Os porta-vozes apresentaram relatórios apontando as respectivas listas de diretórios ativos, propondo também ações para regularizar os municípios que ainda não estão com nominatas devidamente aprovadas para entrar em atividade. Foi firmada a data de 15 de setembro como meta para que 90% dos diretórios municipais existente no estado sejam regularizados para a disputa eleitoral de 2016.

Coordenadores Regionais se reunem na sede estadual2

Na oportunidade, Dra. Maria Marta, responsável pela pasta de assuntos jurídicos, informou sobre a necessidade de cada executiva municipal ter, doravante, entre seus membros, ou sob contrato, um advogado para apresentar a prestação de contas junto à Justiça Eleitoral.

Um nova reunião já está pre-agendada para o dia 15 de setembro, ocasião que serão apresentados pelos porta-vozes das Bacias, os relatórios finais com as respectivas listas de diretórios ativos.

Contribuiu com a matéria:
André Rodini – Coordenador Regional e Presidente do PV Ribeirão Preto
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Bacia 11 se reuniu em Cosmópolis

IB 26 08 15 001

A Bacia 11 se reuniu em Cosmópolis, no último dia 22 de agosto. Foi registrada a presença de 136 pessoas, entre dirigentes e simpatizantes. Dos 32 diretórios, 25 se fizeram presentes. Na plenária foi constatado que, em 15 cidades haverá candidato ao cargo de prefeito, em 5 haverá candidatos ao cargo de vice-prefeito. Até agora, 515 candidaturas ao cargo de vereador já foram firmadas. Entre outras autoridades, estiveram presentes o prefeito de Santa Bárbara d’Oeste, Denis Andia, e o deputado estadual, Chico Sardelli.

IB 26 08 15 002

A Bacia já tem nova reunião marcada para dia 24 de outubro, na cidade de Paulínia.

Fonte: Assessoria de imprensa da Bacia 11

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




PV Capital faz reunião de planejamento visando 2016

PV Capital faz reuniao de planejamento visando 2016

As Bacias 1,2,3 e 4 se reuniram nesta segunda-feira (24) dando seguimento a mais uma fase de organização para a escolha de candidatos e construção de metas visando as eleições de 2016. Além dos dirigentes municipais e coordenadores de bacias, estiveram presentes o presidente nacional do PV, deputado José Luiz de França Penna, o vereador Gilberto Natalini e o dirigente nacional, Eduardo Jorge.

PV Capital faz reuniao de planejamento visando 2016

O presidente do PV Capital, Carlos Camacho, comunicou aos presentes a data do grande encontro das bacias da capital, dando início a seleção de candidatos, marcado para o próximo dia 03 de outubro, na Câmara Municipal de São Paulo.

Fonte: Assessoria de Comunicação –  PV-Capital
Fotos: Sandra Gama
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Dep. Gussi pediu relação de despesas dos ministérios contraídas nos últimos 20 anos

Gussi

A comissão especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 299/13) que limita em 20 o número de ministérios, aprovou, no dia dia 19/08, requerimento que solicita ao ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, informações sobre gastos de todos os ministérios e secretarias com status de ministério nos últimos 20 anos.

O presidente da comissão, deputado Evandro Gussi (PV-SP), assinalou que as informações a serem fornecidas pelo ministério do Planejamento vão ajudar no conteúdo do relatório final da comissão. “Diante de um ajuste fiscal, o governo deveria ser o primeiro a dar esse passo. Essa é a discussão que tem ocorrido na comissão. De posse dessas informações, caso elas cheguem a tempo, visto que a comissão tem um prazo para funcionamento, certamente elas vão orientar tanto no relatório do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), quanto a votação do relatório final”.

O deputado César Halum (PRB-T0) também concorda que os dados do ministério vão contribuir para os debates na comissão. César Halum, porém, apresentou uma emenda que amplia para 25 o número limite de ministérios. “Ministérios, hoje, nós temos 24. Então, se reduziria apenas quatro ministérios com essa PEC. Nossa emenda sugere que seja reduzido para 25 o número de ministros, pois nós temos 24 ministérios e outras 15 secretarias nacionais com status de ministério. Logo, temos 39 ministros e nossa ideia é que esse número seja reduzido para 25, ou seja, um corte de 14. Na nossa emenda, pedimos ainda, que os cargos dessas pastas sejam extintos”.

Fonte: Agência Câmara Notícias

Secretaria Estadual de Comunicação
Parido Verde – São Paulo




PV Nacional faz reunião em Palmas visando as eleições de 2016

PV Nacional faz reuniao em Palmas visando as eleicoes de 2016

Para debater a conjuntura política nacional e definir estratégias eleitorais com vistas às eleições de 2016, a Executiva Nacional do Partido Verde reuniu-se, na última sexta-feira, (21) em Palmas, capital do estado de Tocantins.

O encontro contou com as presenças do presidente Nacional, deputado José Luiz de França Penna (PV-SP); do candidato do PV à presidência da República em 2014, Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho (PV-SP); do líder da legenda na Câmara Federal, deputado Sarney Filho (PV-MA); da vice-governadora do Tocantins, Cláudia Lelis (PV-TO); do presidente da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA), Rogério Menezes de Mello (PV-SP); e dirigentes de todos as demais unidades federadas.

O presidente do PV Tocantins, Marcelo Lelis, avaliou o evento como muito positivo e elogiou a iniciativa da direção nacional realizar reuniões itinerantes com o objetivo de valorizar as lideranças regionais verdes. Representando a bancada do PV na Câmara Federal, o deputado Sarney Filho fez um relato sobre a atuação parlamentar do Partido, assim como, uma avaliação sobre a atual crise política. Entre os assuntos em pauta, a fidelidade parlamentar foi um tema extensamente debatido pelos dirigentes presentes.

Para atender e aproximar a legenda das direções estaduais, a executiva nacional vai manter o calendário com reuniões itinerantes nas capitais dos estados. As próximas podem acontecer, respectivamente, no Nordeste (Salvador), no Sudeste (Rio de Janeiro/Vitória), no Norte (Manaus/Rio Branco) e no Sul (Porto Alegre/Curitiba) do país.

Fonte: Assessoria de comunicação – Liderança do PV na Câmara Federal

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo