Encontro da Bacia 6 define nova Coordenação Regional

Encontro da Bacia 6 define nova Coordenacao Regional

Cumprindo o cronograma estabelecido pela direção estadual, a Bacia 6 se reuniu nesta segunda-feira (27), nas dependências do Rotary Club de Carapicuíba, elegendo seus novos coordenadores e porta-voz.

Dos 13 municípios que compõe a Bacia 6, estiveram presentes representantes de dez cidades. O colegiado optou por indicar um coordenador para cada município, mantendo o dirigente estadual, Carlos Marx (PV-Osasco), com porta-voz junto à executiva estadual.

00002

Entre os membros da nova coordenadoria estão: Carlos Marx (PV-Osasco); Sandra Gama (Embú das Artes); Evangelista Limas (Itapevi), Karitas (Jandira), Carlos Andrade (Taboão da Serra), Kaka Werá (Itapecerica da Serra); vereador Jô (Barueri); Patrícia Marques Machado (Cotia) e o Wilson Marcelino (Carapicuíba). Também são integrantes natos do corpo diretivo regional da Bacia 6, o prefeito de Jandira, Geraldo Teotônio, o prefeito de Itapevi, Jaci Tadeu e o deputado estadual, Marcos Neves. Integrantes dos municípios que ainda não estão ativos, assim que regularizados, indicarão seus representantes para compor o colegiado regional.

Além dos dirigentes e vereadores dos municípios da Bacia 6, estiveram presentes o presidente estadual do PV-SP, Marcos Belizário, a vice-presidente, Vera Motta, o secretário estadual de organização, Arnaldo Juste, o secretário estadual de comunicação, Claudio Turtelli e o deputado estadual, Marcos Neves, anfitrião do Evento.

Texto: Rosi Cheque – Jornalista e dirigente do PV-Osasco
Fotos: Andreia Araújo

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Proteção e ampliação da capacidade hídrica em Santa Bárbara d’Oeste

dd21

Com a proposta de buscar formas de proteção e ampliação da capacidade hídrica no município, que compreendem os mananciais e suas nascentes, o DAE Departamento de Água e Esgoto (DAE) e a Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) de Santa Bárbara d’Oeste elaboraram projeto que integra o Programa de Sustentabilidade Hídrica na Região Metropolitana de Campinas (RMC), iniciativa que tem apoio do governo do estado de São Paulo.

O programa instituído pela Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp), por meio de seu Conselho de Desenvolvimento, requer ações intensas por parte do Poder Público e da sociedade devido o período inédito de escassez hídrica que o Estado enfrenta.

Além do reflorestamento de nascentes, as ações que compõem o projeto incluem a limpeza e remoção da vegetação nas represas da Usina Santa Bárbara, o desassoreamento da Represinha – ponto de captação de água bruta do município – e a aquisição de equipamentos, com valor orçado de aproximadamente R$ 2,6 milhões. A próxima etapa do projeto, prevista para ser concluída entre os meses de outubro e novembro deste ano, consiste no levantamento do diagnóstico de uso e ocupação do solo em áreas próximas às nascentes.

Em Santa Bárbara d’Oeste há quase 600 pontos de nascentes. Dessas, 185 foram vistoriadas até esta etapa e 56 estão selecionadas como prioritárias na recuperação. A informação é da equipe técnica que compõe o grupo responsável pelo projeto barbarense, formado pela chefe de Departamento de Meio Ambiente, Mônica Turtelli, e a engenheira agrônoma, Luciana Giatti, ambas do DAE; o biólogo Fábio Diniz e o engenheiro agrônomo Rubens Bachin Silva, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que estiveram apresentando o projeto em reunião do CD-RMC na última sexta-feira (17), realizada na cidade de Nova Odessa.

Além dos representantes de Santa Bárbara d’Oeste e de mais 17 municípios, participaram da reunião a economista e membro da Agemcamp, Ester Menezes, e o engenheiro agrônomo do CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) de Campinas, Rinaldo Calheiros.

Ao final das etapas, as propostas dos 20 municípios que compõem a RMC serão encaminhadas ao Governo do Estado de São Paulo que será o responsável pela execução dos projetos apresentados pelos representantes dos municípios.

Fonte: SeCom Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Bacia 7 reconduz seus coordenadores

pv

O Encontro da Bacia 7, como previsto, foi realizado na última sexta-feira (17), na cidade de Guarulhos, visando realizar a escolha da nova coordenadoria regional. Além do presidente estadual, Marcos Belizário, que prestigiou o evento, estiveram presentes os dirigentes da executiva nacional, Ricardo Silva e Jovino Cândido. Também marcaram presença o atual prefeito de Francisco Morato, Marcelo Cecchetini, a vereadora e secretária de esportes de Ferraz de Vasconcelos, Ana Acilda, o vereador e secretário de meio ambiente de Mairiporã, Antonio Carlos Tuna, além de vereadores e representantes dos municípios Caieiras, Biritiba Mirim, Francisco Morato, Franco da Rocha, Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos, Mairiporã, Suzano, Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba.

pv2

Foram reconduzidos aos cargos de coordenadores da Bacia 7 o dirigente Jovino Cândido, de Guarulhos, a vereadora Neiva, de Franco da Rocha, Tânia Shibata, de Caieiras, o vereador Tuna, de Mairiporã e Romildo Campello, de Mogi das Cruzes. O porta-voz da Bacia 7 continua sendo o coordenador Ricardo Silva, de Ferraz de Vasconcelos. Pelo fato da maioria dos municípios estarem em fase de reorganização, as direções executivas municipais presentes ao evento, em assembleia, limitaram o mandato da atual coordenação até o próximo Encontro Estadual, que deve ocorrer ainda entre os meses de junho e julho deste ano. Neste sentido, um compromisso entre os atuais coordenadores foi assumido no sentido de regularizar todos os municípios dentro deste prazo para que possam participar do processo eletivo, dando maior legitimidade a coordenação que será escolhida no próximo pleito.

Secretaria Estadual de Conunicação

Partido Verde – São Paulo




Sardelli preside simpósio internacional sobre crise hídrica

Chico Sardelli

O deputado estadual Chico Sardelli (PV-SP) preside na próxima quarta-feira, 22 abril, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o Simpósio Internacional Recuperágua – Conservação, Gestão e Recuperação da Água. O evento é promovido com apoio do Inadem (Instituto Nacional para o Desenvolvimento dos Municípios) e terá a presença de autoridades e técnicos do Brasil e do exterior para discutir alternativas técnicas e políticas em relação ao problema da escassez da água.
 
Sardelli será o presidente do simpósio por ter criado na Alesp o Comitê de Estudos da Situação Hídrica no Estado, coordenado agora pelo deputado Edson Giriboni (PV). Entre as autoridades confirmadas estão o secretário estadual de Recursos Hídricos e presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, o presidente da ANA (Agência Nacional de Águas), Vicente Andreu Guillo e o presidente do Inadem, Edson Onishi.
 
Vários temas serão abordados durante o evento, envolvendo desde o panorama hidrológico do Estado, o uso múltiplo das águas, reuso do esgoto e produção de água potável (experiência europeia com técnico da Espanha), experiência latino-americana na melhoria da gestão do sistema de saneamento (com técnico da Colômbia), perdas nas redes urbanas de água (com técnico da Sabesp), gestão dos sistemas de saneamento básico, entre outros.
 
“A escassez de água é uma grande preocupação em nosso Estado e não pode sair da pauta de discussões. O simpósio pretende debater alternativas para continuarmos a ter água potável. Além disso, colaborar com prefeitos, vereadores e demais agentes municipais para que tomem a melhor decisão na gestão da água e saneamento básico em seus municípios”, comentou Sardelli.

Fonte: AsCom Gabinete do deputado Chico Sardelli

Secretaria EStadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




PV apoia Mobilização Nacional Indígena

PV apoia Mobilizacao Nacional Indigena

O líder do Partido Verde, deputado Sarney Filho (PV-MA), defendeu hoje, durante visita aos líderes indígenas que estão acampados na Esplanada dos Ministérios, a mobilização da sociedade brasileira em defesa das etnias brasileiras. Ele alertou para os riscos que representam algumas proposições em discussão no Congresso Nacional, como a PEC 215, que transfere do poder Executivo para o Legislativo a criação e a demarcação de terras indígenas. Cerca de 1.500 lideranças indígenas estão participando da Mobilização Nacional Indígena – 2015.

“A sociedade brasileira como um todo precisa ser sensível a essa causa. Infelizmente, não vimos nas últimas manifestações de rua no país faixas condenando as agressões aos direitos garantidos aos índios pela Constituição”, afirmou Sarney Filho. O líder conclamou os partidos políticos e as ONGs, não apenas aquelas ligadas à causa indígena, a assumirem essa bandeira.

O presidente do PV, José Luís Penna, reafirmou a posição do partido em defesa dos índios. “O nosso partido, quer seja nas Câmaras dos Vereadores, Assembleias Legislativas ou no Congresso, está com vocês. Precisamos refazer o caminho de Mário Juruna, elegendo índios para a Câmara Federal, para que possamos enfrentar as pressões do agronegócio”, afirmou Penna.

Agronegócio

Sarney Filho, que é coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, explicou aos líderes indígenas que hoje, no Congresso Nacional, a correlação de forças não corresponde ao que a sociedade deseja na área socioambiental. “O agronegócio conta com uma representação parlamentar muito grande, em sua maioria de ruralistas que só pensam no lucro, em detrimento das populações tradicionais e do meio ambiente”, lamentou o deputado.

O líder verde enfatizou que os índios não estão sozinhos na luta em defesa dos seus direitos. “Temos um grupo de deputados pequeno, mas resistente. Resistimos na legislatura passada e estamos resistindo nesta nova legislatura. Não vamos admitir que interesses, que não são os interesses do Brasil, mas pessoais, se sobreponham aos interesses de nossos povos ancestrais”, garantiu.

Ele citou o Projeto de Lei (PLC) nº 2/2015, que trata sobre os recursos genéticos e conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade, ao afirmar que a Câmara deu uma demonstração de desrespeito para com os povos indígenas. “O relator retirou o termo “povos indígenas”, e mudou para “populações indígenas” na tentativa de descaracterizar as etnias que existem no Brasil. Nossa expectativa, agora, é de que o Senado aprove um destaque que retoma o termo anterior”, disse Sarney Filho.

Fonte: AsCom Gabinete do deputado Sarney Filho

Foto: Paula Laport / Lid-PV
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Novas Coordenadorias Regionais serão eleitas entre abril e maio

aq1

Depois de articular a possibilidade de ampliação no número de coordenadorias regionais, a direção do Partido Verde do Estado de São Paulo, devido ao curto prazo para eleições de 2016, manteve os números atuais (22 coordenadorias) e deliberou um cronograma para realização das eleições qua irão escolher os novos coordenadores e porta-vozes, entre abril e maio deste ano. Contudo, a Bacia 16 deve ser, ainda neste processo, dividida em três coordenadorias regionais (16A, 16B,16C) .

O presidente estadual da legenda, Marcos Belizário, juntamente com o secretario estadual de organização, Arnaldo Juste, estarão à frente do processo eletivo e devem marcar presença na maioria dos Encontros Regionais já agendados.

O processo objetiva acelerar o andamento dos trabalhos de organização nos municípios, visando as eleições municipais de 2016. Há ainda um significativo número de cidades em que a legenda não organizou comissões executivas, dado ao fato, caberá também a estas novas coordenadorias regionais o trabalho de ampliação que se faz necessário.

O primeiro Encontro Regional para a escolha dos novos coordenadores aconteceu no dia 17 de abril, na cidade Guarulhos. Já os últimos encontros aconterecerão no dia 30 de maio, mas cidades de Cananéia, Catanduva (ou Rio Preto) e Brejo Alegre.

Em meados do mês de junho, na sede do PV-SP, deve ocorrer um reunião com os porta-vozes de todos as novas coordenadorias regionais.

As instruções normativas pertinentes as eleições das novas coordenadorias regionais e também todas as datas em que ocorrerão as eleições poderão ser encontradas no site do www.pvsp.org.br , no link “Agenda Eleições das Bacias”.

Mudanças de data e local devem ser encaminhadas pela direção executiva estadual, via e-mail, à todas as direções municipais aptas a participarem do processo eletivo.

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo

 




Síntese do Encontro Nacional das Cidades Verdes

01

Para compartilhar soluções criativas verdes que melhorem a vida das pessoas e dos municípios, deputados, prefeitos, vereadores, secretários municipais e dirigentes do Partido Verde de vários estados do Brasil reuniram-se no sábado (11/4) em Mairiporã/SP. No “Encontro Nacional de Cidades Verdes” foram debatidos temas como Cidades Sustentáveis, C40, a Importância de planejamento urbano e ambiental para as cidades, mudanças climáticas, além de apresentação de pesquisa eleitoral. O encontro resultou em uma carta de compromissos verdes, a ser assinada pelos prefeitos.

Na abertura do evento, José Luiz de França Penna, presidente nacional do PV, discorreu sobre reforma política e necessidade de se lançar um movimento nacional em prol do parlamentarismo. Apresentou motivos pelos quais o PV é contrário à redução da maioridade penal, dentre eles o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e destacou a importância de se aplicar as leis ambientais.

O médico Márcio Pampuri (PV), prefeito de Mairiporã e anfitrião do encontro, citou a importância do evento para os gestores públicos. “Temos vários motivos para estarmos, aqui, hoje. E um deles é a troca de experiências. Mesmo com poucos recursos, os municípios precisam se reinventar, inovando na riqueza de projetos e ideias. Precisamos melhorar em todas as áreas, principalmente, reverter a lógica da distribuição de riquezas”, sintetizou.

“Todos que estão no PV devem ter a identidade e a alma verdes. Cada vez mais as pessoas estão morando nas cidades e cada vez mais é preciso olhar para a qualidade do meio ambiente natural e cultural. As construções são responsáveis pela maior parcela de emissões de gases de efeito estufa no mundo. Hoje, 46% das políticas públicas a serem implementadas é de competência dos prefeitos”, falou Marcelo Silva, dirigente nacional e presidente do PV Ceará.

Marcos Belizário presidente do PVSP, discorreu sobre sua preocupação com os deputados. “Não podemos permitir que o cargo seja usado para interesses pessoais e nem possa virar moeda de troca e extorsão”, resumiu.

“Todo prefeito enfrenta dificuldades no primeiro mandato e encara momentos difíceis na gestão. Mas, acredito que com vontade e honestidade e, sobretudo, projetando a reeleição, num segundo mandato os desafios serão mais fáceis de administrar”, comentou Sandra Menezes, vice-presidente do PV Nacional, sobre os prefeitos que não aspiram candidatura em 2016.

Sobre corrupção, a dirgente nacional Vera Motta disse que todos são capazes de prevenir e combatê-la. “A corrupção está dentro de todos os seres humanos e a forma de trabalhar isso é através da integridade. A corrupção afeta a todos e gera custos políticos, sociais e ambientais”, disse e finalizou sua fala lembrando que todas as chapas, para o próximo pleito eleitoral, deverão ter 30% de mulheres e  caso não atinjam essa proporcionalidade perderão a metade de seus componentes.

Mesa “Cidades Sustentáveis”

02

O ambientalista e advogado Fabio Feldmann e o dirigente nacional, André Fraga, titular da Secretaria Cidade Sustentável da prefeitura de Salvador/BA, discorreram sobre o papel das cidades na adaptação às mudanças climáticas, importância da identificação de soluções e compromissos políticos na mesa “Cidades Sustentáveis” onde apresentaram o grupo C40, importância da conservação das florestas, proteção dos rios e lagos, etc.

O grupo C40 (Cities Climate Leadership Group) visa diminuir os efeitos da poluição no clima mundial. Hoje, são 75 cidades participantes, dentre elas São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Salvador. Segundo André Fraga, a entrada de Salvador na organização mundial se deve às ações da prefeitura que investiu no aumento de ciclovias, planos voltados à corredores exclusivos para ônibus e IPTU verde, além de projeto de um inventário para medir a emissão de gases poluentes na cidade, como o metano e CO2. “A prefeitura está implementando o Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica”, contou Fraga.

André Fraga destacou ainda programas de resiliência, infraestrutura, investimento, educação, de saúde para que as cidades possam se tornar sustentáveis. Tudo isso ligado à gestão de resíduos, eficiência energética, construções verdes, dentre outras.

Fábio Feldmann, advogado e administrador de empresas, lembrou que os temas discutidos hoje na agenda mundial já são discutidos há quase 30 anos pelo Partido Verde. Em seguida, falou sobre economia de baixo carbono onde empresas e países aprimoram seus métodos produtivos para diminuir o impacto energético e diminuir os gases do efeito estufa (GEEs) na natureza. Segundo Feldmann, os oceanos são um dos ecossistemas mais atingidos pelo aquecimento global. A acidificação dos oceanos coloca em extinção espécies nos mares e na terra. “Temos de reduzir em até 80% o uso de combustíveis fósseis, investir na conservação dos biomas e da diversidade, mudar o padrão de saneamento básico brasileiro. O desafio é preparar a sociedade para se comprometer com a sustentabilidade”, disse.

Combater o desmatamento na Amazônia, investimento em energia limpa, investimento transporte alternativos (como ciclovias e bicicletários no metrô, etc.), construções e edificações com código de obras que contemple telhados verdes, conservação de energia, investimento em programas de redução de consumo e conservação da água foram algumas das ações sugeridas pelo ambientalista. “Grande parte dos problemas, e de suas soluções, estão nas cidades. Por isso, a importância em se investir nas cidades verdes”, sintetizou Feldmann.

Plantio de árvores em áreas urbanas, consumo consciente, alimentação sustentável na escola, uso de madeira certificada e preocupação com o bem-estar animal também foram citados pelo estudioso. “O PV tem vocação e responsabilidade na agenda de conteúdo e de iniciativas sustentáveis a médio e longo prazos”, resumiu Feldmann.

Mesa “A importância do planejamento urbano para a sustentabilidade ambiental das cidades”

03

Ivan Carlos Maglio, engenheiro civil e PhD em Saúde Ambiental, e Eduardo Brandão, vice-presidente nacional e PV e ex-secretário de Meio Ambiente de Brasília, contaram suas experiências e desafios em criar na prática a sustentabilidade de cidades brasileiras.

Para Eduardo Brandão, o poder da área ambiental está no licenciamento somando-se aos investimentos e ampliação (de cobertura vegetal, parque linear). “O programa Caminho das Águas é inspirador e objetiva a recuperação de margens de rios e córregos. O desafio das cidades consiste na Agenda Marron, pois os gestores têm de solucionar questões relativas à vida urbana, ao consumo, energia, saneamento ambiental, poluição”, alistou.

“A questão dos resíduos sólidos é uma política ambiental, econômica e social. Precisa-se investir em consórcios de municípios. Cidade sustentável é planejamento urbano que está alinhado à moradia, trabalho e lazer”, resumiu Brandão.

Ivan Carlos discorreu sobre as principais ameaças à sustentabilidade ambiental nas cidades como a impermeabilização do solo. “Os corredores verdes são importantes por vários motivos como proteção da água, melhoria da qualidade do ar, proteção da biodiversidade. Além de promover múltiplos usos como transporte com ciclovias, passeios, recreação”, sintetizou.

Pesquisa de opinião pública

04

No período da tarde, foi apresentada a “Pesquisa Nacional de Opinião Pública”, feito pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Foram ouvidas, via fone, 1.000 pessoas em todo o Brasil que responderam perguntas sobre o PV. A pesquisa também mediu a popularidade da presidente Dilma. Na oportunidade, foi debatida a amostragem.

Apresentado pelo dirigente nacional e suplente de senador pelo estado de Pernambuco, Carlos Augusto Costa, o estudo mostra que, em sua grande maioria, as pessoas confiam e sabem o significado da sigla “PV”. O Partido Verde tem a simpatia de significativa parcela da população brasileira e deseja conhecer melhor suas propostas e suas realizações na gestão pública.

Gilberto Kassab, ministro do Ministério das Cidades, fez o encerramento do encontro. Na oportunidade, ouviu os gestores e se comprometeu em atender, na medida do possível, às demandas dos prefeitos.

Carta de compromissos

Os prefeitos indicaram diversas ações que podem trazer grandes contribuições às cidades, tais como criação de fundo socioambiental, maior participação dos municípios nos fundos de investimento com critérios sustentáveis, aumentar ações para coibir o desmatamento, maior investimento em proteção de nascentes e em questões fundiárias, criação de manual do prefeito/vereador sustentável. Todas as sugestões serão copidescadas e resultará em uma “carta de compromissos” a ser redigida nos próximos dias e, posteriormente, assinada pelos prefeitos do PV.

No documento deverão constar ações efetivas de combate às mudanças climáticas e ações para melhorar a qualidade de vida das pessoas com menor impacto ambiental. Ações voltadas à mobilidade mais inteligente, moradia digna, lazer, saúde, educação, edificação eficiente deverão constar na carta.

O evento “Cidades Verdes” foi promovido pela direção nacional do PV, em parceria com a Fundação Verde Herbert Daniel, realizado no auditório do Hotel Refúgio Vista Serrana, na cidade de Mairioporã/SP.

Texto: Carlos Marx (jornalista, dirigente estadual do PV-SP e secretário do meio ambiente da cidade de Osasco/SP). Fotos: Facebook do PV Nacional

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Projeto Escola Verde em Várzea Paulista

Projeto Escola Verde em Varzea Paulista

Alimentação saudável na escola e na família foi tema do encontro realizado nesta quarta (25) na CEMEB Professora Maria Aprillanti. O evento serviu para apresentar aos pais o trabalho que propõe a utilização de ervas na merenda escolar para diminuição de sódio.
 
O projeto intitulado Escola Verde está sendo desenvolvido há um ano e meio nas escolas de Várzea Paulista e atende a resolução 26 do Programa de Alimentação Escolar (PNAE). Os pais puderam entender um pouco a importância de diminuir o sódio na alimentação das crianças, aprender sobre a utilização das ervas no preparo dos alimentos, além de fazer a degustação de um prato preparado com a dieta.

A nutricionista responsável pelo trabalho Raquel Coelho, conta que o projeto foi criado com a preocupação de tornar a merenda escolar mais saudável. Ela ressalta que o número de crianças com problemas de saúde decorrentes da má alimentação, como obesidade e pressão alta vem aumentando muito. “Despertar a consciência alimentar nas crianças é importante para reverter esses números”. Pensando nisso ela criou o projeto para diminuir o sódio nos alimentos preparados para a merenda. As cozinheiras passaram por um treinamento para aprender a utilizar as ervas no preparo dos alimentos.
       
Segundo Raquel, o objetivo agora é estender esse projeto às famílias dos alunos. Através de gráficos e informações apresentados pela nutricionista os pais conheceram a quantidade de sódio presente em alguns alimentos, a recomendação diária e as possibilidades de utilização das especiarias nos preparos. “Os hábitos alimentares são adquiridos na infância, se inserirmos bons hábitos nas crianças teremos o reflexo na saúde” ressalta a nutricionista.

O prefeito Juvenal Rossi (PV) acompanhou os pais na palestra e na degustação da merenda, e relatou que o projeto busca a mudança de comportamento alimentar, e que para isso a participação da família é fundamental. “Trabalhar o preventivo e a mudança de comportamento é demorado e por isso temos que começar a trabalhar com as crianças. A ajuda da família para orientar os pequenos em relação à alimentação é muito importante”. Ele também ressaltou que essas mudanças proporcionarão mais qualidade de vida às crianças em longo prazo e que esse é o objetivo da administração.             

Fonte: AsCom Prefeitura Municipal de Várzea Paulista
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




10 mil árvores para população de Vinhedo

10 mil arvores para populacao de Vinhedo

No próximo dia11 de abril, às 10h, será inaugurada a nova sede da Secretaria e Meio Ambiente e Urbanismo de Vinhedo, localizada no número 75 da Praça Sant’Anna, e também será lançado o programa de plantio de 10.066 mudas de árvores, que será colocado em prática até o final de 2015.

O prefeito Jaime Cruz (PV), que estará presente no evento ao lado de secretários e vereadores, ressaltou que os cuidados com o meio ambiente estão entre as prioridades de seu governo, que pretende continuar investindo no setor para manter o selo Município Verde Azul, concedido pelo Governo do Estado de São Paulo, que por seis anos consecutivos foi conquistado por Vinhedo por sua boa gestão ambiental.

O secretário da pasta, Gilberto Lorenzon, afirma que o objetivo de lançar o projeto no mesmo dia da mudança de endereço da secretaria é para marcar a data. “Fizemos questão de realizar a mudança de sede e de lançar o projeto do plantio dentro das comemorações do aniversário de Vinhedo”, disse.

A mudança para a casa na praça central foi necessária porque atualmente a pasta do Meio Ambiente divide um imóvel com a Secretaria Municipal de Habitação e não há mais espaço para o armazenamento de arquivos e materiais de trabalho. “Além do espaço adequado para acomodação dos funcionários e arquivos, também conseguiremos atender melhor os moradores que nos procuram”, diz.

Lorenzon ressalta que com o novo espaço deverão ser colocados em prática projetos como o da criação de um banco de mudas com doação permanente de árvores e o de educação ambiental continuada, que visa fazer com que a população conheça melhor as características da fauna e da flora de Vinhedo.

Para marcar a data também haverá atrações culturais na Praça Sant’Anna e doação de mudas do projeto de plantio.

Fonte: AsCom Prefeitura Municipal de Vinhedo
Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Nota da Executiva Nacional do PV sobre a crise

saida para crise

1) A executiva nacional do PV, reunida em Brasília nesta quinta-feira (19/03) para analisar a crise política, econômica, social e ambiental, decidiu se manter na oposição construtiva e independente, participando no Congresso Nacional do bloco parlamentar com o PSB, PPS e SD.

2) Apoiamos as manifestações populares pacíficas, com respeito ao processo democrático e repudiamos a violência e o autoritarismo.

3) Sobre o impeachment, nós sabemos que ele é um recurso constitucional. Não é um golpe. Hoje porém ainda não há elementos para um pedido desse tipo tramitar no Congresso. Graves irregularidades estão sendo apuradas. É preciso deixar a justiça fazer seu trabalho. É preciso dar o direito de defesa aos acusados e só aí se tomar uma decisão. Não concordamos com linchamentos, seja na rua ou no judiciário.

4) A reforma política é necessária e o PV defende o parlamentarismo, voto distrital misto, voto facultativo e financiamento público e por pessoas físicas.

5) Reafirmamos a defesa da questão ambiental como fonte de riquezas e rumo para a economia nacional.

O Partido Verde é necessário.

Brasilía, 19 de março de 2015

Executiva Nacional do Partido Verde