Escolas de Santa Bárbara terão mais educadores sociais

Escolas-de-Santa-Barbara-terao-mais-educadores-sociais

A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste, por meio da Secretaria de Educação, terá mais 26 educadores sociais. Os profissionais foram selecionados pelo “Programa Mais Educação” do Governo Federal. O “Programa Mais Educação” é uma iniciativa do MEC (Ministério da Educação), FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e Governo Federal em parceria com os estados e municípios, que tem como prioridade a formação integral de crianças e adolescentes, articulando diferentes ações, projetos e programas, em consonância com o projeto pedagógico das escolas, qualificando o processo educacional e de ensino-aprendizagem.


A implantação desse programa na rede municipal permite que os alunos sejam beneficiados com oficinas em várias áreas de conhecimento. A iniciativa traz oficinas pedagógicas de Língua Portuguesa (Leitura) e Matemática (Jogos Matemáticos), além de oficinas de judô, dança, canto, coral, basquete, horta e capoeira. 



Segundo a secretária de Educação do município, Tânia Mara da Silva, a escola precisa ampliar tempos e espaços que oportunizem os mais diferentes saberes. “Buscamos diariamente trabalhar a valorização do estudo pela curiosidade, pela pesquisa, arte, esportes, ética e pelo conhecimento geral dos fatos do mundo”, ressaltou. “Além desses novos profissionais, o governo do prefeito Denis Andia (PV) ampliou o quadro de monitores culturais, que passou de 23 para 49 servidores, oferecendo aos alunos oficinas de jogos recreativos, dança, capoeira, karatê, flauta, percussão e teatro”.

Fonte: Assessoria de Imprensa P.M. Santa Bárbara d’Oeste

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Vinhedo capacita 3.200 jovens empreendedores

Vinhedo-capacita-3.200-jovens-empreendedores

O programa Jovens Empreendedores – Primeiros Passos, foi desenvolvido pela prefeitura de Vinhedo, em parceria com o Sebrae. O objetivo do programa é disseminar entre os estudantes a cultura empreendedora, de forma a despertar e fortalecer a iniciativa e a autonomia perante o conhecimento.

Vinhedo foi a primeira cidade das 22 atendidas pela regional do Sebrae em Campinas a aderir ao programa Jovens Empreendedores – Primeiros Passos em sua rede pública de ensino.

O projeto foi implantado em Vinhedo no segundo semestre do ano passado, quando professores da Rede Municipal de Ensino foram capacitados para promoverem em sala de aula atividades educativas e comportamentos empreendedores por meio de vivência de um negócio.

Em 2014 o trabalho começou a ser desenvolvido com cerca de 3.200 estudantes que frequentam as escolas de ensino fundamental II de Vinhedo, do 6º ao 9º ano. Para o prefeito Jaime Cruz (PV), que assinou o convênio com o Sebrae quando ainda ocupava o cargo de secretário da Educação em Vinhedo, o programa soma-se à formação escolar e apresenta aos estudantes, ainda na adolescência, o mundo dos negócios e os primeiros passos para a conquista da independência financeira. “É um grande avanço para toda a cidade porque estamos preparando os nossos jovens vinhedenses, já nas escolas, para se tornarem grandes empreendedores no futuro”, comentou o prefeito Jaime Cruz.

Este ano, o projeto foi incorporado na rotina dos alunos, com orientações para aprenderem a formar planos de negócios, de maneira a estimular comportamentos empreendedores.


O material didático do Sebrae utilizado inclui cartilhas com temas específicos para alunos e professores, de acordo com o nível de escolaridade. Os estudantes de cada ano de estudo (6º, 7º, 8º e 9º ano) participam de oficinas teóricas e práticas com temáticas diferentes – adequadas a cada ano de estudo – e desenvolvem suas habilidades e capacidades de entendimento profissional, compreendendo na prática como sua atuação pode estimular o crescimento econômico e até como estruturar seu próprio negócio.

O mais importante, segundo o secretário de Educação, José Luís Bernegossi, é que o projeto incorpora a cultura empreendedora na rotina escolar dos alunos. “Uma das vantagens do projeto é a melhora no desempenho dos alunos, especialmente em disciplinas básicas como Matemática e Língua Portuguesa. A metodologia apresenta dados do cotidiano, como cálculos, porcentagens e descontos, planos de negócios e administração de empresas, ou seja, tudo que favorece o aprendizado”, explicou o secretário de Educação.

Fonte: Assessoria de Imprensa da P.M de Vinhedo

Secretaria Estadual de Comunicação




Itapevi: Escolas municipais terão programa de consumo consciente de água

Iniciativa criará uma comissão formada por representantes das 64 unidades educacionais



Escolas-municipais-terao-programa-de-consumo-consciente-de-agua

Com o objetivo de incentivar a diminuição de desperdício dos recursos hídricos na cidade, o prefeito de Itapevi, Jaci da Silva (PV), promoveu uma parceria com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) – aderindo ao Projeto de Comissão Interna de Redução de Água (Cira).



A iniciativa prevê, inicialmente, a criação de uma comissão interna formada por colaboradores das 64 escolas municipais, em que cada uma terá duas pessoas como representantes. Eles receberão treinamento sobre como manter uma boa gestão de consumo hídrico. 

A proposta – realizada em conjunto com as secretarias de Educação, Meio Ambiente e Habitação – é levar e discutir informações de consumo e abrir leques de possibilidades para reduzir o gasto desnecessário da água dentro das unidades. Para isso, os gestores terão a função de realizar um mapeamento.

Identificação de hábitos de consumo, possíveis vazamentos e implantação de conceitos do uso racional da água são algumas das funções dos gestores das escolas. A ideia é de que o projeto piloto tenha um monitoramento diário.

Após a adesão nas escolas – por se tratar de um número significativo de prédios públicos da cidade – o projeto pode ser ampliado para outros departamentos da administração municipal por ser uma ação que visa o consumo consciente de água e que deve ser disseminada.




Jandira assina termo de adesão a projeto da ONU

Jandira-assina-termo-de-adesao-a-projeto-da-ONU

Programa das Nações Unidas reúne 8 objetivos, 18 metas e 48 indicadores de diversos segmentos a serem alcançados pelo município

A Prefeitura de Jandira assinou o termo de adesão aos 8 Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM). Este ato coloca Jandira entre as 20 cidades que aderiram ao Programa das Nações Unidas, em um total de 193 países participantes.

Durante o evento, o prefeito de Jandira Geraldo Teotônio da Silva (PV) se reuniu a todos os representantes das ONG´s e entidades de Jandira para oficializar a assinatura do termo de adesão ao Programa.

Ao final do evento foram realizadas palestras informativas com os temas: “Mobilização e Sensibilização” e “Dialogando sobre o Desenvolvimento”, para a formação de uma comissão municipal com representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Sociedade Civil para gestão e execução dos 8 Objetivos em Jandira.
 

8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
(Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas)

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) surgem da Declaração do Milênio das Nações Unidas, adotada pelos 191 estados membros no dia 8 de setembro de 2000. Criada em um esforço para sintetizar acordos internacionais alcançados em várias cúpulas mundiais ao longo dos anos 90 (sobre meio-ambiente e desenvolvimento, direitos das mulheres, desenvolvimento social, racismo, etc.), a Declaração traz uma série de compromissos concretos que, se cumpridos nos prazos fixados, segundo os indicadores quantitativos que os acompanham, deverão melhorar o destino da humanidade neste século.

Os objetivos do milênio estão procurando formas de inserir a busca por esses Objetivos em suas próprias estratégias. O esforço no sentido de incluir vários desses Objetivos do Milênio em agendas internacionais, nacionais e locais de Direitos Humanos, por exemplo, é uma forma criativa e inovadora de valorizar e levar adiante a iniciativa.

Concretas e mensuráveis, os 8 Objetivos – com suas 22 metas (24 no Brasil) e 48 indicadores – podem ser acompanhadas por todos em cada país; os avanços podem ser comparados e avaliados em escalas nacional, regional e global; e os resultados podem ser cobrados pelos povos de seus representantes, sendo que ambos devem colaborar para alcançar os compromissos assumidos em 2000. Também servem de exemplo e alavanca para a elaboração de formas complementares, mais amplas e até sistêmicas, para a busca de soluções adaptadas às condições e potencialidades de cada sociedade.

Fonte: Assessoria de Imprensa da P.M. de Jandira

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo

 




Deputado do PV quer proíbição da exploração do gás de xisto por cinco anos

il-18-08-2014

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6904/13, do deputado Sarney Filho (PV-MA), que suspende a exploração do gás de xisto pelo período de cinco anos.

Conforme o texto, durante esse tempo, o Poder Público deverá fixar regras para a exploração do gás, de modo a evitar danos ao meio ambiente e prover a segurança das pessoas que atuam na indústria. Além disso, o governo deverá revisar critérios vigentes para a concessão de autorizações de exploração e promover estudos para atualizar a tecnologia de exploração do gás, tornando-a ambientalmente sustentável e segura para os trabalhadores.

O autor da proposta destaca que a exploração do xisto foi proibida pelo menos em dez países, por estar associada a graves prejuízos ao meio ambiente. “No atual processo de extração do gás – chamado de faturamento hidráulico –, as rochas são explodidas ou fraturadas, com a injeção de água, areia e um coquetel de produtos químicos”, explica Sarney Filho. “Faz-se uso de uma grande quantidade de água, que é devolvida ao meio ambiente como rejeito altamente poluído”, complementa.

O deputado acrescenta que já existem indicações de que o ciclo produtivo de eletricidade com gás de xisto emite grande quantidade de gases de efeito estufa, se comparado a outras fontes energéticas poluidoras.

Tramitação

De caráter conclusivo, a proposta será analisada pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Minas e Energia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo