Frentes Parlamentares Ambientalistas se reúnem em Salvador

Frentes-Parlamentares-Ambientalistas-se-reunem-em-SalvadorO I Encontro Nacional das Frentes Parlamentares Ambientalistas das Assembleias Legislativas aconteceu no ultimo fim de semana (10 e 11), em Salvador (BA). O evento reuniu parlamentares, técnicos e ambientalistas de todo o país, que durante dois dias discutiram assuntos como o acompanhamento da implementação do Código Florestal nos Estados, as experiências de implementação do Cadastro Ambiental Rural, além de audiência do Grupo de Trabalho da Comissão de Meio Ambiente  e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados.

O deputado estadual Beto Trícoli (PV-SP) esteve presente e fez seu pronunciamento defendendo a implantação do Cadastro Ambiental Rural, em âmbito nacional, salientando que poderá ser um marco importante no auxílio aos proprietários de terras nas questões ligadas ao meio ambiente, principalmente no que chamou de “conciliação entre atividades agrícolas e preservação da natureza”.

O parlamentar falou também sobre a implantação do CAR em São Paulo, lançado oficialmente em maio deste ano e que deve cadastrar cerca de 330 mil propriedades rurais, via internet, até 2016.

Representando a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (aonde é coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista), lembrou que apesar do estado já ter se adiantado no início desse levantamento, muitos estados federados ainda não aderiram à medida, incluindo o próprio Ministério do Meio Ambiente, que ainda precisa publicar um decreto para formalizar a criação do CAR nacional.

O Cadastro Ambiental Rural foi criado no final do ano passado, a partir da implantação do Novo Código Florestal e se constitui em uma base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.

O deputado do PV argumentou ainda que o cadastro vai ajudar a mensurar o déficit de área legal do país: – “Teremos uma visão real da situação via satélite e, a partir dessas informações, será possível evoluir para outras políticas, como por exemplo a regularização ambiental de propriedades”. Tricoli defendeu a adesão de todos os Estados ao CAR e disse estar preocupado com a visão de alguns setores de que esse cadastro venha a ter um caráter punitivo. “É preciso ter uma visão positiva do CAR, valorizando aqueles donos de terras que valorizam e respeitam as questões ambientais. A legislação ambiental tem que servir para educar e não apenas para punir, sob pena de não conseguirmos implantar um levantamento ambiental sério e confiável em nosso país”.

Fonte: Assessoria de imprensa – Gabinete dep. Beto Tricoli

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Deputado do PV quer mais informações sobre o aquífero Alter do Chão

Deputado-do-PV-quer-mais-informacoes-sobre-o-aquifero-Alter-do-Chao

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados aprovou, na semana passada, um requerimento do deputado Penna (PV-SP) para a realização de audiência pública no sentido de levantar informações sobre o aquífero Alter do Chão, localizado na Região Norte do País. “No primeiro semestre deste ano, enviamos à ministra do Meio Ambiente uma solicitação de informações sobre o aquífero, mas até agora respostas não vieram. Então a audiência pública se faz necessária pela importância que é uma reserva deste porte, que acredita-se ser a maior do mundo”, afirmou o parlamentar.

O Aquífero Alter do Chão é uma reserva de água subterrânea localizada sob os estados do Amapá, Pará e Amazonas. Abastece a totalidade da cidade de Santarém (PA) e quase a totalidade de Manaus (AM), através do uso de poços profundos. Estudos preliminares revelam que sua área é de 437,5 mil km², com espessura de 545 metros. Pesquisadores da Universidade do Pará e da Universidade do Ceará desenvolveram estudos que podem atestar ser o aquífero bem maior que o calculado inicialmente, superando, inclusive, as dimensões estabelecidas para o Aquifiro Guarani. O aquifero Alter do Chão teoricamente ocuparia uma pequena área em extensão, mas um grande volume, reservando aproximadamente 85 mil km³ de água, contra apenas 45 mil km³ do aquífero Guaraní.

Além de tal falta de informação, por parte das autoridades governamentais, trazer um prejuízo na questão extratégica de fornecimento futuro, existe ainda o risco de o aquífero sofrer contaminações por falta de controle nas perfurações, provocadas exencialmente pela falta de coleta e tratamento de lixo e esgotamento nos aglomerados urbanos da região.

Neste sentido, o deputado Penna salientou que “é importantíssimo que a sociedade brasileira tome conhecimento a respeito desta reserva e que os devidos estudos sejam feitos, no sentido de mapear e definir o aquífero quanto à dimensão, qualidade da água e potencial de aproveitamento deste enorme patrimônio hídrico”.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Gabinete do dep. Penna

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Gás Xisto: Uma iniciativa de risco para as águas

Gas-Xisto

Por: Walter Tesch

A imprensa mundial tem noticiado o êxito dos Estados Unidos de, paulatinamente, estar diminuindo sua dependência em relação a energia provinda do petróleo, usando para isso a chamada tecnologia do Fracking – exploração não convencional de injeção de águas e produtos químicos sob alta pressão para extrair gases presos em rochas folheadas – extraindo, em abundância deste processo, o denominado “Gás Xisto”. Por outro lado, dado ao fato que este método produz impactos já conhecidos de contaminação, afetando a qualidade das águas subterrâneas e superficiais, muitos estados americanos e países com a França e Bulgária proibiram este tipo de exploração.

Aqui Brasil, analistas da área denunciaram recentemente que o Edital da Agencia Nacional de Petróleo, que vai leiloar áreas para exploração de Gás, em novembro de 2013, ao introduzirem seu texto a frase – exploração por métodos não convencionais – abre portas também para a exploração do chamado “Gás Xisto”, obtido pelo método de fraturamento da rocha (Fracking), sem o devido conhecimento cientifico geológico das áreas e a observância das regras de licenciamento, medidas mínimas para que seja protegida e preservada a água destinada ao abastecimento público.

Diante destes fatos, em 5 de agosto último, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência enviou uma carta à Presidência da Republica, com cópia à diversas instituições e órgãos públicos, alertando para o risco de uma exploração com insuficiente conhecimento do método e da geologia das áreas em questão. No texto da carta foi argumentado, inclusive, que no plano decenal, instituído pela própria União, esta modalidade de exploração não estava previamente incluída, sequer mencionada. Até o momento se desconhece iniciativa de suspensão de tal Edital pela ANP.

Gas-Xisto1

No âmbito nacional do sistema de gestão dos recursos hídricos, em reunião realizada em último dia 21 de agosto, a Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do Conselho Nacional de Recursos Hídricos convidou o professor Luiz Fernando Scheibe, da Universidade Federal de Santa Catarina, para expor sobre o uso do Fracking e os possíveis impactos por ele causados na qualidade das águas subterrâneas e superficiais. Foi alertado sobre a necessidade de cautela, seguindo o princípio de precaução, nesta intervenção em áreas e métodos pouco dominados, pois as reservas deste gás na Argentina e no Brasil estão logo abaixo do Aquífero Guarani, onde se extrai e é ampla a reserva de água de abastecimento para consumo humano.

Em São Paulo, ainda sobre o tema, a Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do Conselho Estadual de Recursos Hídricos/CRH realizou reunião extraordinária, no dia 10 de outubro, com exposição e debate, também com o professor Scheibe e diversos outros especialistas. Concluiu-se que é prematuro autorizar, neste Edital de novembro, a exploração de gás por método de fraturamento da rocha (fracking) em áreas da Região Oeste do Estado de São Paulo, onde está localizado boa parte do Aquífero Guarani, englobando aí áreas fronteiriças, além de encaminhar o tema com subsídios para decisão no CRH, solicitando uma moratória de, no mínimo, cinco anos, acompanhado de estudos efetivos para suporte à qualquer decisão. Outra linha sugerida foi a propositura, com o apoio do Ministério Publico, de uma ação cível, com a devida liminar, requerendo a suspensão do parágrafo do Edital que abre portas a este método de exploração do Gás Xisto.

* Walter Tesch é o Coordenador de Recursos Hídricos da Secretaria Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo e dirigente estadual do Partido Verde.




Notícias Verdes Planetária de 11.10.2013

globinho p

Verdes da Gringa

Notícias Verdes Planetária

Ano I – Nº 8 – Edição eletrônica de 11.10.2013 – Editado e Distribuído por Claudio Turtelli

Partido Verde Alemão decresce no Parlamento

partido-verde-alemao

O Partido Verde Alemão, presente em todos os parlamentos dos estados da Federação e à frente de seis governos estaduais, obteve um resultado insatis-fatório na eleição nacional realizada no último dia 22 de setembro. Dos 10,7% dos votos conquistados nas eleições anteriores, caiu para 8,4%, reduzindo sua posição anterior na Câmara Baixa do Parlamento Federal (Bundestag) de 68 para 63 cadeiras.

A queda só não foi maior para os verdes (em número de cadeiras conquistadas) porque dois partidos, entre eles o FDP (liberais democratas), chegaram próximos, mas não conseguiram os 5% dos votos necessários para formar suas bancadas no Budestag. Por outro lado, com 41,5% dos votos e 311 cadeiras conquistadas, de um total de 630 existentes, os conservadores (CDU/CSU) registraram seu melhor resultado, desde a reunificação da Alemanha, em 1990. Faltou pouco para o CDU conquistar a maioria absoluta, fato ocorrido pela última vez no mandato do chanceler Konrad Adenauer, em 1957.

Após a vitória nas eleições legislativas, a atual chanceler alemã, Angela Merkel, privada de uma maioria absoluta e também impossibilitada de fazer uma aliança com os liberais democratas (FDP), que não terão representantes no Bundestag por não terem alcançado o mínimo exigido de votos, será obrigada a se aliar aos sociais democra¬tas (SPD) ou aos verdes (Die Grünen) para formar uma maioria e governar.

A aliança com os verdes é considerada, a priori, pouco provável. As negociações devem ser particularmente tensas com o CSU, ramo bávaro e muito conservador do CDU, cuja filosofia é incompatível com a cultura libertária verde. Como exemplo da falta de sintonia, ao contrário dos conservadores, os verdes defendem uma legislação que equipara o casamento entre homossexuais ao casamento heterossexual. Defendem também o total direito, sem reservas, à adoção por parte de casais do mesmo sexo.

O CDU deve, em todo caso, conviver com a pressão de uma maioria matemática dos partidos de esquerda, em ambas as Casas do Parlamento (Bundestag e Bundesrat). O SPD, Die Grünen e o radical Die Linke (que conquistou mais as¬sentos que os verdes), obtiveram juntos 319 das 630 cadeiras no Bundestag. Se houver uma aliança de esquerda ela será capaz de, a qualquer mo¬mento, ameaçar An¬gela Merkel. Mas, tanto o SPD, como os verdes, rejeitaram essa possibilidade, argumentando que o Die Linke não é “maduro” o bastante para governar.


Partido Verde avança na Áustria

Partido-Verde-avanca-na-austriaSe na Alemanha os resultados das eleições não foram favoráveis, na Áustria correu tudo às mil maravilhas. Os verdes, em uma campanha franca, com muito entusiasmo e eficiência, fizeram sua melhor eleição, cres¬cendo em votos e em nú¬mero de assentos no Congresso Nacio¬nal, pela quarta eleição consecu¬tiva. O PV Austríaco (Die Grünen) sufragou 12,4% dos votos, conquistando 24 das 183 cadeiras exis¬tentes no Parlamento.

Com propostas claras, defendendo um modelo econômico baseado na sustentabilidade e na ampliação de medidas de cunho social e ecológico, os verdes fizeram uma campanha vibrante e certeira, mostrando claramente que há espaço para uma só voz social e ecologicamente verde na Áustria e na Europa. O PV Austríaco já havia sufragado 20% dos votos em Salzburgo, nas eleições de maio, além de aumen¬tar seus assentos no Tirol, Baixa Áustria e Caríntia.


Partido Verde Sérvio faz manifesto em apoio à comunidade GLBT

Partido-Verde-Servio-faz-manifesto-em-apoio-a-comunidade-GLBT

O Partido Verde da Sérvia expressou  sua decepção com o cancelamento, promovido pelas autoridades governamentais, da Parada do Orgulho GLBT, programada para ocorrer no último dia 28 de setembro, nas ruas de Belgrado. Os verdes argumentaram que a Sérvia perdeu mais uma oportunidade de mostrar ao mundo que é uma democracia madura e que todos os cidadãos são iguais em seus direitos.

Para a co-presidente do Partido Verde Europeu, Monica Frassoni, “a realização da Parada do Orgulho nas ruas de Belgrado, com segurança adequada fornecida pelas autoridades, iria acrescentar muito aos direitos das pessoas LGBT e seria outro sinal do compromisso da Sérvia para a criação de uma cultura de tolerância e diversidade. Como a Rússia começou a perseguir e assediar suas comunidades LGBT, há uma necessidade de ação sistemática em toda a Europa para reforçar a consciência dos direitos básicos de todos os níveis da sociedade”.


Jovem Verdes apoiam a campanha das primárias do PV Europeu

Jovem-Verdes-apoiam-a-campanha-das-primarias-do-PV-Europeu

A Federação Europeia dos Jovens Verdes (FYEG) entrou com tudo na pré-campanha de 2014, apoiando a decisão do PV Europeu de realizar as primárias para a escolha dos candida-tos cabeças de listas  dos verdes. Eles justificam seu apoio dizendo que acreditam que esta pode ser uma ferramenta facilitadora que vai na direção certa em dar mais poder de decisão às pessoas.

No blog do co-presidente da FLYEG, Michael Bloss, a mensagem é que os Jovens Verdes decidiram participar ativamente das primárias, enviando para isso, o seu próprio candidato. Bloss acredita que “as fronteiras são arbitrárias e que as eleições europeias não devem ser baseadas somente em listas nacionais, mas também em listas transeuropeias. É necessário criar um debate mais amplo, transcendendo as fronteiras nacionais. Aliás, os verdes já estão fazendo este debate ao se antecipar no processo, deixando que a escolha de seus candidatos seja feita pela sociedade.


Italianos criam movimento para amplificar teses verdes

Italianos-criam-movimento-para-amplificar-teses-verdes

A Itália de hoje está imersa em uma profunda crise caracterizada por uma recessão econômica prolongada, um agravamento acentuado na desigualdade e um alto nível de desemprego (40% são jovens). Nesta condição de angústia e sofrimento socioeconômico, soma-se ainda a corrupção generalizada, a endêmica evasão fiscal do crime organizado, a baixa eficiência e baixa autoridade das instituições públicas e a desconfiança galopante dos cidadãos na política.

“Um novo movimento batizado de greenitalia nasceu para ajudar o país a abraçar seu coração ecológico e social”, afirma Monica Frassoni, co-presidente do Partido Verde Europeu. Para implementar o projeto, o foco das discussões abrange quatro grandes temas: a proteção política para a economia verde; o trabalho contínuo para derrotar a corrupção e o crime organizado; a promoção dos valores europeus e a promoção e proteção da cultura italiana.


Relatório do Clima: O que os Verdes Europeus estão dizendo?

Relatorio-do-Clima-O-que-os-Verdes-Europeus-estao-dizendo

O relatório do IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), divulgado em Estocolmo, em 27 de setembro, mostrou, com 95% de certeza, que os seres humanos são a causa dominante das mudanças climáticas no planeta. Verdes de toda a Europa se apressaram para exigir de seus governos e das comunidades dos seus países, uma forma de frear as emissões de carbono.

Parlamento Europeu

No Parlamento Europeu, o porta-voz dos verdes para o Clima, Satu Hasi, disse que “a janela de oportunidade para tomar medidas que reduzam as emissões, intensificando a prevenção para possíveis alterações climáticas descontroladas, está fechando, enquanto a resposta da União Europeia às mudanças climáticas está se enfraquecendo, ao invés de se fortalecer. A UE precisa ter esta questão como uma prioridade e romper com sua costumeira prevaricação climática”.

Grécia

O líder do Partido Verde Grego (Ecologoi Prasinoi) argumentou que “a UE tem que recuperar sua posição de liderança, empenhando-se no esforço global para proteger o clima, começando com as ambiciosas metas obrigatórias estabelecidas para 2030, que visam reduzir o  consumo de combustível, as emissões de carbono e o aumento da participação em sistemas de energias renováveis.”

Irlanda

Na Irlanda, o líder do Partido Verde, Eamon Ryan, argumentou que “este relatório (IPCC) é um apelo não só aos governos, mas à toda comunidade. Todos devem ajudar. Precisamos acatar a nova realidade de forma colaborativa e criativa, ouvindo opiniões diferentes e aprendendo à medida que avançamos”.

PV Europeu

O porta-voz do PV Europeu para o Clima, Bas Eikhout, disse que “o relatório do IPCC deixa claro que não há como continuar queimando combustíveis fósseis, se quisermos evitar as consequências das mudanças climáticas”.

Reino Unido

Natalie Bennett, líder do Partido Verde da Inglaterra e do País de Gales (GPEW) desta¬cou o consenso científico sobre a mudança climática. “Estamos falando de 95% de certeza e do consenso de 97% dos cientistas sobre o impacto da ação humana na amplificação do efeito estufa. Aqueles que negam a ciência não deve ter mais assento neste debate”.

Suécia

O líder do Partido Verde da Suécia (Miljöpartiet de Gröna) deixou claro que a mudança deve acontecer em um nível coletivo. “É um grande desafio, mas é perfeita¬mente possível. A tecnologia existe e, eventualmente, os novos empregos verdes em áreas rurais e urbanas. Nós podemos fazer como indivíduos, mas só quando esta¬mos juntos podemos mudar significativamente o jogo”.

Noruega

A eurodeputada Rasmus Hansson, do Partido Verde da Noruega (Miljøpartiet De Grønne), quer que o novo governo vá muito além dos compromissos assumidos sobre as mudanças climáticas. “O IPCC apresenta um novo relatório que mostra que devemos agir com mais urgência do que nunca”.

França

Para o PV Francês (Les Verts) o tempo é essencial quando se trata de mudanças climáticas. Alegam os seus dirigentes que “o relatório do IPCC indica que ainda é possível limitar o aquecimento global abaixo de 2°C, até o final do século e as ações e os esforços para atingir esse objetivo são conhecidos. Não há mais como protelar essa discussão. A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21), que será realizada em Paris, em 2015, é uma data crucial”.


FONTES DESTA EDIÇÃO: EUROGREENS – DIE GRONEER – GRÖNEER – THE GREENS GROUP/EFA – MILJØPARTIET DE GRØNNE




As páginas oficiais do PV-SP no Facebook e no Twitter

As-paginas-oficiais-do-PV-SP-no-Facebook-e-no-TwitterDepois de um semestre de ajustes nas tarefas pertinentes à pasta, a Secretaria Estadual de Comunicação do Partido Verde do Estado de São Paulo deu continuidade a um série de implantações que foram planejadas para melhorar as comunicações interna e externa da legenda.

Com o portal na internet reestruturado, com os veículos de comunicação interna regularizados, o secretário estadual da pasta, Claudio Turtelli, deu sequência ao plano de restruturação na área de comunicação externa, criando as ferramentas necessárias para interagir a legenda juntos às redes sociais.

As páginas oficiais do PV-SP no Facebook e Twitter já estão em operação, desde 7 de outubro. Para o fim do mês de novembro está programado para entrar em atividade a RÁDIO WEB PV-SP. Para o início de 2014 está previsto a implantação da TV WEB PV-SP. São mais duas ferramentas de interação para dinamizar o setor de informação dos Verdes de São Paulo.

As páginas oficiais do Partido Verde do Estado de São Paulo nas redes sociais podem ser acessadas em:

Facebook : https://www.facebook.com/pvsp43

Twitter: https://twitter.com/PVESTADUALSP   (@PVESTADUALSP)

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Deputado do PV quer energia solar nos edifícios financiados pela União

Deputado-do-PV-quer-energia-solar-nos-edificios-financiados-pela-UniaoO deputado Antônio Roberto (PV-MG) apresentou na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 6444/13 que obriga novas edificações urbanas financiadas com recursos da União ou por ela administradas, a incorporar sistema de geração de energia elétrica a partir da fonte solar e sistema de reaproveitamento de água.

Antônio Roberto explica que “somente serão aceitas exceções se for comprovada inviabilidade técnica”. Para o deputado do Partido Verde: “o reaproveitamento da água consumida em nossos edifícios evitará o desperdício e irá aliviar a pressão sobre nossos mananciais de água, além de permitir maior segurança no abastecimento com o benefício da redução nos valores das tarifas pagas pela população”.

O projeto leva em consideração a crescente escassez de água no mundo e a necessidade de ampliar no país o uso de recursos energéticos renováveis, de forma a contribuir para a sustentabilidade das cidades. Além da justa prática ambiental, a proposta visa ainda promover o desenvolvimento da cadeia produtiva relativa aos equipamentos fotovoltaicos, gerando desenvolvimento econômico, tecnológico e social.

Tramitação: apresentado dia 26 de setembro, o PL aguarda despacho do Presidente da Câmara dos Deputados na Seção de Registro e Controle de Análise da Proposição/SGM.

Fonte: ASCOM – Liderança do PV na Câmara dos Deputados

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




12 ª Conferência de Produção + Limpa e Mudanças Climáticas realiza ações eficazes

legislativo 09 10

Há 12 anos acontece em São Paulo a Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas, por iniciativa do vereador Gilberto Natalini, que objetiva intermediar o diálogo entre cidadãos, instituições, iniciativa privada e governo, para aprofundar a discussão sobre os três pilares da sustentabilidade: ambiental, econômico e social, e propor políticas públicas e legislações de caráter mais objetivo e resolutivo. Evento gratuito que na primeira edição em 2002, reuniu 350 pessoas, 6 parceiros e em 2013 contou com mais de 4.000 participantes e 350 parceiros.

A Conferência, evento oficial (resolução 8 de 27/12/2002), da Câmara Municipal de São Paulo, aconteceu no dia Internacional da Ecologia, 04 de outubro, no Memorial da América Latina. Com o tema: Por uma cidade mais sustentável, o evento foi aberto por uma mesa diretora, onde autoridades de diversas áreas do governo estadual e municipal e entidades da sociedade civil expuseram ações focadas nas questões de sustentabilidadei. Em foco os temas: São Paulo e suas águas: equilíbrio entre o excesso e a escassez; Circular e respirar na Metrópole e Resíduos: do problema à solução.

legislativo002 09 10

Com objetivo de estimular mudanças de atitudes, seis campanhas foram desenvolvidas e se consolidaram durante a Conferência: Arrecadação de Lixo Eletrônico; Descarte de Celulares e Baterias; Ação Renove o Meio Ambiente que recebeu óleo de cozinha usado para troca por óleo novo; Troca de chumbadas – acessório de pesca, por pesos cerâmicos ecológicos; Programa de descarte consciente de medicamentos vencidos e sem uso e coleta de recipientes de vidros, que serão destinados aos hospitais para armazenamento de leite.

Na área de exposição, o público pôde conhecer diversos exemplos de projetos, produtos e serviços alinhados às questões de sustentabilidade, com o conceito de produzir mais e melhor com menos. Entre tantas iniciativas, a 1ª moto flex do mundo, ônibus movido a etanol, elétrico e híbrido, táxi híbrido e elétrico, bicicleta elétrica, triciclo, máquina de picar madeira de poda de árvore, alimentos orgânicos, calçada acessível, sustentável e durável. Móveis de palete, telha de Pet, placa fotovoltaica, luminárias solar de LED, composteira, chuveiro ecológico, luminárias de bagaço de cana de açúcar, entre outros.

O caminhão de água de reuso esteve exposto na área externa do Memorial, um programa da SABESP, fruto do compromisso assumido na 1ª Conferência de P + L, que por iniciativa do vereador Gilberto Natalini, se transformou em lei, em 2002 e alia o desenvolvimento econômico ao ambiental – a reutilização de água, minimiza os custos de produção, beneficiando os dois elementos -, esta ação já é desenvolvida na área industrial, como nas siderúrgicas CSN e CST e na Cidade de São Paulo para lavar ruas, molhar praças e jardins. A Sabesp em 2012 utilizou 1,5 bilhão de litros de água de reuso para fins urbanos e industriais, o que significa uma considerável economia de água potável, deixando-a disponível para o consumo humano.

legislativo003 09 10
“Os conceitos apresentados nas doze edições da Conferência de P + L, já estão introduzidos em diversas empresas de diferentes mercados. A P+L, como assim é chamada, trata de uma série de medidas de caráter preventivo e restaurador para ser aplicado aos processos, produtos e serviços. A produção mais limpa requer mudança de atitude da empresa, exercício de gerenciamento ambiental responsável, introdução da inovação e avaliação das melhores opções tecnológicas disponíveis. Enfim, produzir mais e melhor com menos. Isto e muito mais pôde ser conferido nas palestras, que contou com a participação do público e na área de exposição do evento que recebeu aproximadamente 4000 participantes”, comenta Natalini.

Fonte: Assessoria de imprensa – Gabinete vereador Gilberto Natalini

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Bancada do PV-SP ganha mais um deputado estadual

Bancada-do-PV-SP-ganha-mais-um-deputado-estadualA bancada do Partido Verde na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo conta agora com mais um deputado, totalizando oito parlamentares em exercício e um licenciado. O recem-filiado é Marcos Neves, eleito em 2010 pelo PSC. Graduado em Administração de Empresas, o deputado vem de uma familia de politicos. Seu pai, Luiz Carlos Alves Neves, foi prefeito de Carapicuíba de 1983 a 1988 e, posteriormente, deputado estadual, de 1991 a 1995.

Trajetória política

Nas eleições municipais de 2000, com 25 anos, elegeu-se vereador em Carapicuíba, sendo o mais votado do PMDB (1.179 votos). Reeleito vereador em 2004, com 4.605 votos, foi o segundo mais votado da cidade. Em 2006, sem êxito, disputou as eleições para o cargo de deputado estadual. Em 2008 foi candidato a prefeito de Carapicuiba, obtendo 57.854 votos, ficando em segundo lugar. Em 2010, filiado ao PSC, se elegeu deputado estadual, com 54.459 votos. Em outubro de 2013, filiou-se ao PV objetivando disputar uma vaga para Câmara dos Deputados.

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




PV Capital se reúne e lança pré-candidato a governador

img 0001

Em clima de festa, o PV capital reuniu as Bacias 1, 2, 3 e 4 para apresentar sua lista de pré-candidatos, visando as eleições de 2014. O salão nobre da Câmara Municipal de São Paulo ficou tomado pelos ativistas que assistiram a apresentação dos pré-candidatos e os informes dos dirigentes e parlamentares presentes.

Os trabalhos da mesa foram conduzidos pelo dirigente estadual e presidente do PV Capital, Carlos Camacho. Entre outros, marcaram presença no evento os dirigentes estaduais Arnaldo Juste, Hélio Amorim e Claudio Turtelli, os vereadores Dalton Silvano e Gilberto Natalini, além de Patrícia Penna, representando o presidente nacional da legenda, deputado federal José Luiz de França Penna.

img 0002

A solenidade foi marcado pelo anúncio da filiação do ex-deputado federal e ex-vereador da cidade de São Paulo, Willian Woo, que na oportunidade se posicionou como pré-candidato ao parlamento federal. Entre os vereadores da capital foram referendadas as pré-candidaturas de Abou Anni, para a Câmara Federal e, Ricardo Teixeira, para a Assembleia Legislativa. As filiações de novas lideranças de bairros foram anunciadas e, no clima de suspense, uma surpresa de pré-candidatura feminina, ainda era aguardada para o fim da tarde ou começo da noite do sábado.

O momento de maior vibração da plenária ocorreu quando o presidente do PV São Paulo, Carlos Camacho, em nome de toda a executiva municipal, convocou o vereador Gilberto Natalini a participar da disputa para o cargo majoritário. Surpreendido, o parlamentar discursou sobre sua trajetória e sua relação com a legenda, aceitando a indicação e colocando-se a disposição do Partido Verde como pré-candidato ao governo do estado de São Paulo.

img 0003

A pré-candidatura de Gilberto Natalini neste momento é muito importante para a correta trajetória da legenda nas próximas eleições. Isto porque a iniciativa do vereador reforça a vontade da corrente majoritária da legenda que deseja somente candidaturas do PV, tanto nos cargos majoritários (governador, vice e senador) como nas listas proporcionais (deputados federais e estaduais), contrapondo aos interesses de um setor minoritário que prega alianças com outras legendas nas listas proporcionais, além do apoio, já no primeiro turno, a um candidato a governador de outro partido.

Em 2014 serão disputadas, no estado de São Paulo, 94 cadeiras para a Assembleia Legislativa e 70 cadeiras para Câmara Federal. Como a lei permite que as legendas utilizem até 50% a mais de candidaturas sobre o número de cadeiras existentes, o PV-SP, se não fizer coligações, poderá lançar 141 candidatos ao cargo de deputado estadual e 99 candidatos ao cargo de deputado federal. Deste montante, o PV Capital será responsável pela apresentação de aproximadamente 25% das candidaturas, ou seja, 37 candidatos ao parlamento estadual e 25 candidatos ao parlamento federal, sendo que 1/3 destas vagas terão que ser do sexo feminino.

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Deputado do PV quer incentivo à produtos têxteis que usarem reciclados

legislativo 02 10 2013

Fabricantes têxteis que utilizarem materiais reciclados em sua produção terão incentivos fiscais, segundo proposta do deputado estadual Chico Sardelli (PV), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Têxtil e de Confecção do Estado de São Paulo. A apresentação do projeto de lei 657/2013 na Assembleia Legislativa atende reivindicação do setor, discutida com participação do Sinditêxtil-SP e da Abit.

De acordo com o projeto, o fabricante que promover saída de produtos têxteis produzidos a partir do uso de resíduos têxteis em geral, retalhos de tecidos recicláveis ou materiais derivados da moagem ou trituração de resíduos plásticos recicláveis, inclusive garrafa PET, poderá promover crédito presumido da importância equivalente a 80% do valor do ICMS incidente sobre a respectiva operação de saída interna. O benefício será efetuado sem prejuízo dos demais créditos previstos na legislação.

“A medida que propomos poderá propiciar equilíbrio na cadeia produtiva, além dos benefícios ambientais e sociais correlatos, justificando, assim, a concessão de créditos presumidos aos industriais que utilizarem insumos de processo de reciclagem. O Estado de São Paulo, inclusive por iniciativa da Assembleia Legislativa, é competente para legislar em matéria de proteção do meio ambiente e combate à poluição”, destacou Sardelli.

Reciclagem – Os retalhos de tecidos descartados podem ser facilmente reaproveitados para a produção de novos artigos. No entanto, para que o reuso destas matérias seja viável à indústria, é necessária a implantação de incentivos, especialmente de ordem tributária. O deputado destaca que é de suma importância que o governo paulista priorize e incentive uma política específica de logística reversa aplicável ao setor têxtil propiciando a reciclagem de materiais e criando uma alternativa às matérias-primas virgens, fomentando a sustentabilidade, preservando recursos naturais e, portanto, diminuindo os impactos ambientais e sociais.

Na região do Bom Retiro, bairro da capital paulista, estão mais de 1,2 mil confecções e que produzem, aproximadamente, 12 toneladas de resíduos têxteis (retalhos) por dia. A coleta desse material era realizada de forma desorganizada, sem preocupação com a preservação ambiental.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Gab. Dep. Chico Sardelli

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo