Prefeito de Santa Isabel quer acabar com as enchentes

Prefeito-de-Santa-Isabel-quer-acabar-com-as-enchentesNa tarde da última sexta feira, 28 de junho, o Prefeito Pe. Padre Gabriel Bina (PV) de Santa Isabel, acompanhado do Deputado Federal Roberto de Lucena (PV/SP) estiveram na Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do estado de São Paulo, onde foram recebidos pelo secretário e deputado estadual licenciado, Edson Giriboni (PV/SP).

Prefeito-de-Santa-Isabel-quer-acabar-com-as-enchentes1O foco principal da reunião foi a entrega do projeto de canalização do Ribeirão Araraquara, que se aprovado realizará um sonho antigo dos munícipes. Segundo o prefeito, a canalização do Ribeirão Araraquara é um anseio da população, por isso, a atual administração vem tentando desde o início do ano, levantar recursos para projetos e opções de barreiras de contenção em pontos estratégicos, além da autorização ambiental para canalização (calha aberta) do Ribeirão Araraquara, que irá solucionar ou ao menos minimizar as constantes enchentes que geralmente ocorrem principalmente na época do verão, que chegam a castigar aproximadamente 9,0 KM2 da cidade.

Prefeito-de-Santa-Isabel-quer-acabar-com-as-enchentes2

Os projetos apresentados possuem uma estimativa em torno de 28 milhões de reais entre investimentos de canalização, obras de contenção, projetos e licenciamento. A torcida é que tal pedido possa ser atendido, pois a canalização ajudará no fluxo das águas, além de promover melhorias em torno da marginal, inclusive com ganho de espaços nas calçadas, gerando uma revitalização paisagística ao longo da sua extensão.

Fonte: Assessoria de Imprensa PM Santa Izabel

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




5ª Conferência das Cidades em Varzea Paulista

5-Conferencia-das-Cidades-em-Varzea-Paulista

No último sábado (27), foi realizada a etapa municipal da 5ª Conferência das Cidades, no Espaço Cidadania, em Várzea Paulista. Este ano, o tema do evento foi “Quem muda a cidade somos nós: Reforma Urbana Já!”, teve como objetivo avançar na construção da Política Nacional e Estadual de desenvolvimento urbano. O Encontro discutiu meios para o crescimento sustentável e ordenado do município.

5-Conferencia-das-Cidades-em-Varzea-Paulista1

O prefeito Juvenal Rossi (PV) fez a abertura da 5ª Conferência das Cidades e ressaltou sua luta pelo desenvolvimento ordenado no município. Questões como acessibilidade, implantação do estudo ambiental na rede de ensino e crescimento sustentável surgiram a partir dos debates organizados. Durante a conferência foram indicadas prioridades de atuação ao Ministério das Cidades e aos órgãos competentes do Estado e município, além do encaminhamento de documentos sistematizados e consolidados para a Comissão Preparatória da etapa estadual e à Coordenação Executiva da Conferência Nacional. Foram eleitos delegados e suplentes, que participarão da 5ª Conferência Estadual, nos dias 26, 27 e 28 de setembro de 2013.

Fonte: Assessoria de Imprensa PM Varzea Paulista

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Horta Comunitária abastece escolas e creches e alimenta a população de Brejo Alegre

Horta-Comunitaria-abastece-escolas-e-creches-e-alimenta-a-populacao-de-Brejo-AlegreA administração municipal da cidade de Brejo Alegre vem inovando e mostrando que as parcerias podem trazer benefícios para a comunidade.

Nesta última semana, as conquistas para o povo de Brejo Alegre, ganha novo reforço. A horta comunitária responsável pelo abastecimento de hortaliças às escolas e creches da cidade também tem serventia à população já que os produtos excedentes são revendidos para abastecer outras comunidades.

Horta-Comunitaria-abastece-escolas-e-creches-e-alimenta-a-populacao-de-Brejo-Alegre1

De acordo com o prefeito Adriano Marcelo Bonilha (PV) a ideia vem de encontro com a necessidade do município que se preocupa em atender as necessidades das crianças e adolescentes que precisam se alimentar adequadamente e colabora com a alimentação da toda a população. A horta realizada com recursos próprios da administração municipal e além da ampliação do local, possui  um microtrator com encanteirador, o que promete mais rapidez no preparo de canteiros e diversificação dos vegetais” explicou o prefeito Adriano.




Nova estação de tratamento atenderá Cordeirópolis pelos próximos 20 anos

Nova-estacao-de-tratamento-atendera-Cordeiropolis-pelos-proximos-20-anos

Uma nova estação de tratamento de água deve atender Cordeirópolis pelos próximos 20 anos. A previsão consta no projeto que já está na segunda fase e foi apresentado nesta semana a Fundação Nacional da Saúde (Funasa).

Durante reunião, o prefeito Amarildo Zorzo (PV), junto com o presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cordeirópolis (SAAE) Giovane Genezelli, apresentaram à técnicos da Funasa o projeto básico e licenças para instalação da unidade. “Será mais uma importante obra que irá ampliar e modernizar todo o sistema de tratamento de água da cidade por muitos anos, já que o projeto prevê a expansão continua do sistema”, destacou o prefeito.

Genezelli explica, que a estação é completa e no projeto está previsto desde todo sistema de monitoramento até a desidratação de lodo. “Além disso, incluímos ainda a implantação de laboratórios de análises e sistema de reuso de água eliminando as perdas”, destacou.

O próximo passo agora, após o protocolo do projeto na Funasa, deverá ser a visita de técnicos do órgão no local e posteriormente liberação de recursos para obra que tem orçamento previsto em R$ 12 milhões a fundo perdido e terá capacidade para tratar 120 litros por Segundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa de Cordeiropolis

Secretaria Estadual de Comunicação

Partido Verde – São Paulo




Paulicéia organiza Encontro da Aquicultura e Pesca

Pauliceia-organiza-Encontro-da-Aquicultura-e-Pesca

O prefeito Wlademar Siqueira Ferreria, o Mazinho (PV), foi anfitrião do 1° Econtro da Aquicultura e Pesca da Região da Nova Alta Paulista, na cidade de Paulicéia (SP). O evento foi realizado com o objetivo de divulgar e discutir os programas oferecidos pelos governos federal e estadual. A programação contou com a explanação do coordenador federal do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), Marcos Alves Pereira, que explicou os programas do ministério e como as cidades e a população, de modo geral poderiam pleitear recursos.

Pauliceia-organiza-Encontro-da-Aquicultura-e-Pesca1

Os participantes desfrutaram ainda de duas palestras com pesquisadores da área: Luiz Marques Ayroza, da Apta – Agência Paulista de Tecnologia, que abordou o tema “Licenciamento da Aquicultura no Estado de São Paulo”, e Prof. Marcos Vinicios Saita, pesquisador da UNESP/ Dracena, que discorreu sobre “Piscicultura Tanque-rede e Escavada – perspectiva regional (situação atual e potencial futuro) e comercialização”.

A população pôde tirar suas dúvidas em um momento de perguntas específicas às autoridades presentes. Diante das questões levantas pelos participantes será elaborado um relatório específico da região da Alta Paulista e entregue ao ministro sa Pesca e a Frente Parlamentar da Assembleia Legislativa.




Notícias Verdes Planetária de 22 a 31.07.2013

globinho p

Verdes da Gringa

Notícias Verdes Planetária

Ano I – Nº 4 – Edição eletrônica de 22 a 31.07.2013 – Editado e Distribuído por Claudio Turtelli

O olhar verde sobre as prioridades políticas da União Europeia

001 Verdes da Gringa 22 a31

Os Verdes Europeus estão se prepa-rando para, um dia, dirigir os destinos do continente. Uma prova está no trabalho que a Fundação Verde Euro-peia vem realizando. Recentemente a Fundação publicou um minucioso relatório analítico com as principais propostas que a União Europeia formulou no campo da política externa e de relações de comércio, para 2013.

O relatório em questão propicia uma visão ampla da posição dos Verdes Europeus sobre estas políticas específicas. Entre os principais aspectos analisados estão: o acordo de livre comércio com os EUA; os conflitos comerciais com a China; as questões de direitos humanos na Rússia, Síria e Egito, entre outros.

O relatório também discorre sobre as prioridades da União Europeia em matéria de emprego e prestação de serviços sociais, bem como a regulação bancária e dos mercados financeiros, além de abordar outros temas como, direitos fundamentais, agricultura, alimentos, pesca e energia.

Paralelamente e com o mesmo foco, na semana que passou, a Fundação realizou a 4ª edição do seu Seminário Transnacional sobre os Fundamentos da União Europeia que teve como objetivo sensibilizar os participantes sobre os papéis das diferentes instituições do Bloco e os atores não-institucionais. Depois de ter discutido a reforma da Política Agrícola e a Democracia Europeia no ano passado, o seminário deste ano abordou, como tema central, a política energética da UE.

Diga-se de passagem, o movimento dos verdes na Europa serve como um ótimo exemplo de atitude, dedicação e objetividade para os verdes de todo o planeta. Mesmo porque, não há outra maneira de ganhar a confiança de uma sociedade, sem ter visão e ponto de vista detalhado sobre as políticas públicas que estão em andamento ou aquelas que precisam ser implementadas. Discutir e praticar governo e governança, requer capacidade de ação e projetos eficazes que vão de encontro aos anseios de um coletivo. Em relação ao PV Europeu, não há a menor dúvida que os parâmetros para uma possível posição de governo estão sendo seguidos.

Para se ter uma ideia do objetivo almejado, o bloco União Europeia representa mais de 25% do PIB mundial e um quinto do comércio praticado no planeta. Trata-se de um importante ator político e econômico no cenário global. É quem mais contribui em ajudas humanitárias, um ator cada vez mais ativo na prevenção de conflitos, bem como em convenções ambientais e de cunho econômico, tais como a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas e o G8/20.

Um empresa verde para mudar o paradigma dos supermercados

002 Verdes da Gringa 22 a31

Três jovens empreendedores da Breta-nha, cidade localizada a oeste da França, tiveram uma genial ideia – lutar contra o desperdício de alimentos perecíveis nos supermercados locais e ajudar o consumidor a pagar menos por esses produtos – o que se transfor-mou, com sucesso, em um negócio econômico e socialmente viável.

A ideia é simples e racional: Ao invés de descartar, os supermercados podem vender os seus produtos perecíveis, próximos ao prazo de validade, por um preço bem me-nor. Na Europa, esta política não é seguida pela maioria dos supermercados que, por vezes, simplesmente optam por descartar toneladas de alimentos. Na França, por exemplo, 600 mil toneladas/ano de alimentos perecíveis têm como destino o lixo. Ba-seado nestes dados, os jovens empreendedores desenvolveram um programa (“desperdício zero”) criando um site, com um aplicativo que coleta todos os dados sobre tais produtos e compartilham com os potenciais consumidores.

Dois supermercados já estão enviando seus dados, todos os dias. Eventualmente, outros dois supermercados, incluindo um perto de Paris, participa do projeto. Foi viabilizada uma área especial para o programa, em cada um dos supermercados participantes, permitindo aos cidadãos encontrar todos os produtos ofertados, em um mesmo lugar. Os resultados são impressionantes: em um destes supermercados caiu pela metade a quantidade de produtos desperdiçados. Isso significa que dezenas de toneladas de resíduos deixaram de ser gerados, além de ter viabilizado um bom negócio para o supermercado, para os consumidores e para o meio ambiente.

Com a ajuda de uma diversificada rede de fomentadores, os empreendedores desenvolveram um modelo de negócio economicamente sustentável. O serviço é totalmente gratuito aos consumidores, já os supermercados pagam uma mensalidade pelos serviços prestados. Após algumas melhorias no programa, os supermercados já podem atualizar os dados sobre os alimentos ofertados diretamente no site, várias vezes ao dia. Uma aplicação para smartphones estará disponível em breve.

Além do fato do serviço prestado contribuir para redução do desperdício de alimen-tos, também está fomentando uma comunidade de pessoas que trocam dados sobre quais supermercados praticam, ou não, descontos para tais produtos. Ou seja, mais do que fazer negócios, este tipo de empreendimento ajuda a construir a tão sonhada sociedade sustentável que todos almejamos.

Energia Solar gerada no Norte da África deve abastecer Europa

003 Verdes da Gringa 22 a31

Um ambicioso projeto denominado “Desertec” deve aproveitar a energia solar nos desertos do norte da África a fim de abastecer a Europa. Alemanha, França, Itália, Espanha e Marrocos iniciaram negociações para assinar um acordo comum que regule a constru-ção de instalações solares no Marrocos, orçadas em 600 milhões de euros, prevendo a transferência de parte da energia para Europa.

O Ministro da Indústria de Marrocos confirmou os planos para assinar um acordo internacional, salientando que “a cooperação com a Europa é um pilar importante para política energética do país”. O plano de desenvolvimento do projeto inicial prevê a construção do primeiro conjunto de instalação solar fotovoltaica com uma geração de 150 Megawatt. A administração será de um consórcio que envolve mais de 50 empresas e organizações, como a gigante energética alemã RWE, o Deutsche Bank, o grupo italiano de energia Enel, Arábia ACWA Power, entre outros. Os acionistas estão dispostos a assumir a 1/3 do investimento, do total de 600 milhões de euros. O projeto está prevista para ser concluída entre 2014 e 2016.

Partido Verde quer compromisso para uma Escócia independente

004 Verdes da Gringa 22 a31

A Escócia fará um plebiscito em 2014 para decidir se fica ou não indepen-dente do Reino Unido. O meio ambi-ente por lá tem muitos problemas: poluição do ar e da água, a pesca excessiva, a perda de vida selvagem e a extração e uso abusivo de petróleo.

O Partido Verde Escocês quer um comprometimento do atual Governo, em caso de independência, no sentido de estancar a “fome insaciável” dos produtores de petró-leo, fazendo um uso mais responsável dos recursos e com muito mais critérios e inteligência. Grande parte dos membros do PV escocês apoiam a independência, porque acreditam que é vital para o meio ambiente da país. Uma chance de melhor gerir as questões ambientais, aumentando os postos de trabalho e melhorando a qualidade de vida da população. Os verdes também priorizam uma política susten-tável para os setores da pesca e da agricultura.

Líder do PV Irlandês quer investimento para mudar matriz energética

005 Verdes da Gringa 22 a31

O Líder do Partido Verde Irlandês, Eamon Ryan, está furioso com as medidas do atual Governo que pre-tende entregar € 2 bilhões da venda de ativos do Estado, que nem sequer era uma condição do programa de resgate original da divida do país.

Segundo o parlamentar, “o atual Governo Irlandês esta planejando enviar 1,5 bilhão de dólares da venda de ativos para fora do país, quando esse dinheiro poderia ser usado para buscar investimentos em novas usinas e ativos de rede. O investimento no setor de energia tem caído drasticamente nos últimos dois anos. Colocando esses € 2 bilhões de volta para o setor elétrico, possibilitará a criação de 50 mil novos pos-tos de trabalho. A mudança também melhoria a balança comercial, uma vez que aumentaria as exportações de eletricidade para o Reino Unido e diminuiria a importa-ção de combustíveis do Oriente Médio. Se investirmos o dinheiro público desta ma-neira, fortaleceremos nossas riquezas, propiciando a mudança da matriz energética que necessariamente teremos de fazer. “

PV Inglês quer a estatização do sistema ferroviário

006 Verdes da Gringa 22 a31

A única representante do Partido Verde no Parlamento do Reino Unido, Caroline Lucas, vai apresentar um pro-jeto para que o sistema ferroviário da Grã-Bretanha volte gradualmente ao domínio público, conforme as conces-sões forem expirando, ou mesmo, através de eventuais quebras contra-tuais das concessionárias.

Caroline salienta que “uma nova era de domínio público das ferrovias poderia render mais de 1 bilhão de libras por ano ao Tesouro, possibilitando melhores serviços e tarifas mais baixas para os passageiros. Hoje, 65% das concessionárias que operam linhas férreas na Grã-Bretanha são de propriedade de empresas estrangeiras. Os ingleses já foram líderes mundiais em transportes ferroviários, mas o sistema privati-zado de hoje – caracterizado por serviços de má qualidade e com tarifas mais caras da Europa – está explorando os passageiros e prejudicando a economia.

Fontes de pesquisas desta Edição: Eurogreens, Les Verts, Combaontas Glas, Green Party UK, Scottishgreens e Budis 90/ Die Grünen




Programa ondontológico é sucesso em Santo Antonio da Alegria

31 07 0001

ODONTOCRIANÇA é um progama referência no tratamento e prevenção da saúde bucal das crianças das escolas públicas do município de Santo Antonio da Alegria. Foi aprovado nos Conselhos Municipais da Saúde e Educação e faz parte do projeto pedagógico do ensino fundamental e primário das escolas municipais. Para garantir sua a continuidade, cujo resultado são a médio e longo prazo, o poder público encaminhou o Projeto de Lei à Câmara Municipal, que aprovou por unanimidade. Os recursos financeiros empregados são do próprio município.

O projeto foi criado e idealizado pela cirurgiã dentista Dra. Beatriz Neves e implantado no município pelo prefeito Ricardo da Silva Sobrinho (PV), desde fevereiro de 2011. Tem com objetivo a promoção e prevenção em saúde bucal, através de uma parceria entre as secretarias municipais de educação e saúde.

31 07 0002

Durante o ano letivo, participam do projeto todas as crianças (aproximadamente 700) matriculadas nas escolas públicas de ensino infantil e fundamental de Santo Antonio da Alegria. Além do tratamento odontológico oferecido, são desenvolvidas ações educativas, trabalhando conceitos sobre saúde bucal com vários tipos de atividades, interagindo com os alunos, através de palestras, vídeos, teatros, jogos, explanações com o uso de macro-modelos, atividades em sala de aula como desenhos, palavras cruzadas, elaboração de textos, entre outras.

31 07 0003

Também faz parte destas ações educativas, as escovações supervisionadas com distribuição de Kits, (escova, creme dental e fio dental) aos alunos, evidenciação de placa e fluorterapia (aplicação do flúor, com bochecho), de acordo com o levantamento de risco feito no inicio de cada ano letivo.

Fonte: Departamento Mu.nicipal de Saúde de Santo Antonio da Alegria

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




Olimpiadas 2016: PV quer sustentabilidade em obras

rio 2016

Um projeto de autoria do deputado Sarney Filho (PV/MA) dispõe sobre a obrigatoriedade da adoção de medidas ecologicamente sustentáveis nas obras de infra-estrutura necessárias à realização das Olimpíadas de 2016. “Sabemos que um processo adequado de preparação deverá envolver ganhos ao país que podem refletir em melhoria na educação, no desporto e, sobretudo, na consciência da população sobre o lugar que o Brasil ocupa hoje no mundo. A forma como vamos recepcionar os Jogos Olímpicos irá mostrar que estamos, de fato, comprometidos com a transformação de uma economia que irresponsavelmente consome recursos, externaliza impactos e rompe ciclos vitais dos ecossistemas, para outra que racionaliza o uso dos recursos, completa o ciclo dos materiais e se insere, de forma inteligente, nos sistemas vivos e produtivos que o Planeta oferece” argumentou o deputado Penna (PV-SP), relator do projeto.

Outra medida correlata ao assunto foi um requerimento do deputado Penna (PV_SP), apresentado e aprovado na mesma reunião deliberativa da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, solicitando a realização de seminário para debater o tema de Construções Sustentáveis, em conjunto com as Comissões de Desenvolvimento Urbano e de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.

O relatório sobre o projeto do deputado Sarney Filho (PV-MA) apresentou ainda uma emenda determinando que o regulamento deverá estabelecer padrões para a contratação de projetos de edificações a serem construídas ou reformadas e de logística para as ações envolvidas na preparação e realização dos Jogos Olímpicos de 2016. O parecer foi aprovado por unanimidade.

Fonte: Assessoria de Imprensa Gab. Dep. Penna

Secretaria Estadual de Comunicação
Partido Verde – São Paulo




PV quer saquinhos de papel em supermercados.

PAULO WAGNER 31 07 2013

O deputado federal Paulo Wagner (PV-RN) apresentou projeto de lei que Obriga os mercados e supermercados a oferecerem sacolas de papel aos consumidores para o transporte dos produtos.

O parlamentar verde justifica seu projeto argumentando que o saco plástico usado para acondicionar e transportar os produtos comprados em mercados e supermercados representa um sério problema ambiental. Os sacos plásticos podem durar até 400 anos na natureza. Durante esse tempo eles poluem as cidades, florestas e oceanos, servem de depósito para a água das chuvas e berçário para mosquitos, entopem bueiros, agravando o problema das enchentes, e causam a morte de animais marinhos, que ingerem as sacolas por engano.

Para enfrentar esse problema a solução proposta tem sido a proibição do uso das sacolas plásticas. Não nos parece que esta seja a melhor solução. Nos estabelecimentos que deixaram de fornecer a sacola plástica, os consumidores viram-se obrigados a comprar sacolas retornáveis para o transporte dos produtos. Além disso, boa parte das sacolas plásticas era utilizada para acondicionar o lixo doméstico. O consumidor passou a ser obrigado também a comprar sacos de lixo para substituir as sacolas plásticas anteriormente utilizadas. Em outras palavras, todo o custo da proibição do uso das sacolas plásticas nos mercados e supermercados foi transferido para o consumidor.

No nosso entendimento, a melhor solução, do ponto de vista ambiental e do consumidor, é substituir as sacolas plásticas por sacolas de papel. O papel, como se sabe, é reciclável e biodegradável, e pode ser utilizado nas residências para o acondicionamento do lixo seco. Além disso, enquanto o plástico é fabricado a partir do petróleo, a matéria prima do papel é a celulose de florestas plantadas com eucalipto e pinus. A indústria de celulose e papel no Brasil utiliza um recurso renovável, gera emprego e renda no campo, e, no que diz respeito à matéria-prima utilizada, não contribui para o aquecimento global.

Estamos propondo, portanto, por meio do presente Projeto de Lei, que os mercados e supermercados estejam obrigados a fornecer ao consumidor sacolas de papel para o acondicionamento e transporte dos artigos comprados no estabelecimento. Esperamos contar com a aprovação dos nossos Pares nesta Casa para a sua aprovação.