PV-SP presta solidariedade a blogueira e ativista cubana Yoani Sánchez

Yoani Sánchez
Nesta última semana o Brasil recebeu a visita inusitada da blogueira e ativista cubana Yoni Sánchez, que veio falar do seu polêmico site “Geração Y” – uma referência a esta nova geração superconectada via internet. 
 
Yoani apresentou para o mundo uma série matérias esclarecedoras quanto a realidade por trás da revolução cubana. 
Abordando temas gerais como economia, emprego e renda, drogas, liberdade de expressão e cultura política, ela divide com o mundo os eventos cotidianos de uma Cuba que só é vista pelos cubanos.
O povo cubano não lê o blog desde que o governo bloqueou seu acesso no país. Sequer Yoani que é proprietária do site consegue ver o que posta e por isso ela é chamada de “blogueira cega”. Porém entusiastas de seu projeto, de diversas nacionalidades, tem se proposto a não apenas atualizar o blog para ela com as matérias que Yoani escreve, como tem traduzido seu conteúdo para mais de 15 idiomas, numa espécie de movimento de solidariedade internacional á favor da liberdade em seu país.
 
O Partido Verde que em seus 12 valores defende “o exercício da democracia representativa, através do processo eleitoral e da existência de um poder público eficiente e profissionalizado, combinado com mecanismos participativos e de democracia direta, sobretudo a nível local, através de formas de organização da sociedade civil e conselhos paritários com o poder público” – em seu valor 3 e a “liberdade de expressão política e cultural, criação artística e informação” – em seu valor 5, não poderia deixar de prestar sua opinião política diante da condição de Yoani e seu povo. 
Sendo assim, em uma oportunidade especial o Partido Verde, representado pelo nosso Presidente Estadual Marco Antônio Mroz, foi ao seu encontro prestar nossa solidariedade a sua luta pela liberdade de expressão no evento “Conversa com Yoani” organizado pelo Estadão em sua sede.


O BATE PAPO

Yoani sobre Raul Castro (irmão de Fidel Castro, que está no poder desde que este apresentou sinais de debilidade física): 

” Raul sabe que não sustentará o regime com a mesma energia que Fidel e ensaia reformas que vão na direção da abertura, mas num rítimo muito lento. 

Sobre o direito de sair do país por exemplo, que está começando a ser permitido, hoje já não há tanto controle sobre coisas simples como as roupas, pois Raul percebe que não pode exercer o mesmo controle.”

O Estadão: O que é o comunismo para você? Se relaciona bem com ideologias? 

Yoani responde: “Não. Me relaciono bem com conhecimento científico, mas não com ideologias…não creio que Cuba seja socialista, menos ainda comunista. No período soviético houveram ensaios nesse sentido, mas hoje o que há é um governo que exerce o papel do capitalismo, oprimindo o povo da mesma forma que condena.”

O Estadão : Como é a situação dos serviços públicos em Cuba? 

Yoani responde: “Há uma boa infra-estrutura que recebemos de ajuda soviética, mas com a queda do muro de Berlim houve um sucateamento dos salários e materiais.”

O Estadão: Há alguns anos você escreveu uma carta contendo perguntas a Raul Castro e a Barack Obama e os enviou. Como foram estas respsotas?

Yoani responde:”Não foi nenhuma novidade o silêncio do governante cubano, mas para minha surpresa Obama me respondeu. Enviei uma carta a Barack Obama e Raul Castro no sentido de tentar uma aproximação diplomática entre nossos países e de saber o posicionamento dos Estados Unidos em relação a uma invasão que o governo cubano diz que está prestes a acontecer há 30 anos! Enviei respeitosamente as cartas. Raul não respondeu, mas Obama me respondeu dizendo que não há nenhum plano de invadir Cuba.”

Yoani disse ainda que havia até treinamento de uso de armas para se prepararem para essa invasão.

“Na Alemanha me perguntaram se eu era cubana de Miami ou de Fidel. Me senti ofendida. Sou cubana da minha mãe e do meu pai. Sou cubana de Cuba!” Yoani Sánchez

O Estadão: Sobre sua opinião sobre o bloqueio econômico Yoani brinca “Vou levar uma gravação comigo para onde eu for, pois essa é uma questão que todos querem saber!”
 
Yoani responde:”Ele é ruim porque aumenta a precariedade do povo, mas também porque serve sempre de desculpa para o governo cubano sobre o sucateamento e as limitações materiais da vida que levamos lá em Cuba. Então qualquer problema social será sempre culpa do bloqueio econômico e não de uma má gestão.
Os Cubanos que não recebem dinheiro enviado de parentes de fora do país, ou não possuem outras funções extra salário como um táxi clandestino, prostituição ou emprego em algum órgão público, “passam muito mal” e Raul já reconheceu que com estes trabalhos “alternativos” o salário oficial cubano não é a principal fonte de recursos no país.

Sem açúcar também não há país, mas eu penso que Cuba deveria focar mais em serviços, assim como o turismo ainda pode acrescentar muito mais.”

O Estadão: Mas e o povo, ainda assim festeja Fidel?
 
Yoani responde:”O mesmo povo que sofre, faz festa para os dirigentes… isso é Cuba. Eles nos fazem crer que o país não nos pertence. Então isso desanima o povo a fazer alguma coisa, além do medo da morte. Isso faz com que as pessoas busquem resolver sempre seus próprios problemas nos “trabalhos alternativos”, cada um por sí.”
 
O Estadão: Que sistema você considera o mais adequado no mundo?
 
Yoani responde:”Não consigo pensar em sistemas prontos para se encaixar em Cuba, pois nossa experiência é única e possui condições tão próprias que a alternativa para o modelo atual também deve levar em consideração essa realidade única. 

Gostaria muito que em Cuba pudéssemos ter um Parlamento com a gritaria de debates de idéias que vocês tem aqui, mas não temos. É praticamente impossível um representante dissonante das idéias do Partido Comunista Cubano chegar ao poder lá, pois são todos indicados entre si e pelos comitês de defesa da revolução. A pluralidade ajudaria a mudar, mas isso não é possível no atual sistema de poder.

Estes comitês de defesa da revolução atualmente tem perdido muita força, mas ainda são células que controlavam tudo, até a decisão de quem é considerado insano mentalmente.”

 
O Estadão: O que pensa sobre a regulação da mídia?
 
Yoani responde: “A mídia tem uma importância muito grande. Mas temos uma mídia que vai em paralelo e a distancia da realidade.
A imprensa em Cuba é privada do partido comunista. Apenas dois grandes jornais, eles falam que Cuba é um paraíso e o mundo um inferno.
Adjetivos positivos para as notícias internas e verbos negativos (matou, roubou) para as internacionais.
A imprensa cubana tem uma condição de trincheira, não de informação.

Os jovens estão criando uma oposição artística inteligente e utilizando as mídias sociais para fazerem a crítica mais bem feita.”

 
O Estadão: E a você e suas idéias, quais as instituições que te  apóiam e como você tem rodado o mundo?
 
Yoani responde:”Algumas me enviam o convite para eventos onde me oferecem o mínimo, como as passagens para que eu vá comparecer, mas a solidariedade é o que mais me conta. Amigos que tenho feito em minhas andanças me hospedam em seus sofás para que eu cumpra as agendas, e diante disso eu me considero uma mochileira.”
 
Sobre os ataques que vem sofrido de militantes ligados aos partidos brasileiros que apóiam o atual governo cubano e que vem impedido seus debates acontecerem, Yoani rebate dizendo que admira a livre expressão de idéias divergentes das suas, como uma entusiasta dessa liberdade aqui, mas não aprova a violência física e verbal que alguns desses militantes vem imprimido ao impedir que seus debates aconteçam. 
Muito habilidosa Yoani, que sabe que estes militantes também apoiam o governo Dilma Rousseff. Para finalizar ainda usou uma frase da Presidenta: “Prefiro uma mídia barulhenta à uma ditadura silenciosa.”
 
Yoani Sánchez, atualmente é Jornalista correspondente e colunista em três jornais pelo mundo, incluindo o Estadão no Brasil e sustenta sua família e seu projeto com os salários que recebe por seu próprio trabalho.
 
 
Direto da Redação do PV-SP

 




Encontro Regional da Bacia 21.

encontro

A bacia 21, realizará neste sábado uma reunião da Bacia em Ribeirão Preto, às 14:00, na Av. Antônio Diederichsen, 666. solicitamos a presença de todos os municípios que compõe essa bacia.

Atenciosamente,

 André Rodini

Coordenador Regional da Bacia 21




Blogueira cubana, jornalista Yoani Sánchez é recebida na Câmara dos Deputados

foto editada 597 Foto Pedro Ladeira1

A ativista cubana Yoani Sánchez esteve, nesta quarta-feira (20), em debate na Câmara dos Deputados. A ativista disse que sonha com o dia em que haverá liberdade de expressão em Cuba. Autora do blog Generación Y, de críticas ao regime cubano, Yoani comentou que não esperava que sua página na internet, com textos sobre sua família e seus conterrâneos, resultasse em vigilância policial e na impossibilidade de sair de seu país.

Yoani Sánchez está no Brasil desde segunda-feira e ficará até sábado (23), quando seguirá por mais nove países. Esta é a primeira vez que ela deixa Cuba, depois de seis anos à espera de um visto, obtido depois da reforma migratória implantada na ilha em janeiro deste ano.

Segundo Yoani, a viagem se viabilizou com a ajuda de blogueiros e da Anistia Internacional. “Estou aqui graças à solidariedade de muitas pessoas pequenas como eu”, disse a ativista.

“Cuba não é uma ideologia. Cuba é plural, diversa, com muitas cores. Lutamos para que, nessa Cuba plural, as pessoas se manifestem. O Parlamento do meu país nunca disse não a uma lei, nunca viu um debate como aqui, em que há diferentes opiniões”, disse Yoani.

A ativista participou de uma reunião na Câmara dos Deputados. Na ocasião, foi exibido o documentário “Conexão Cuba-Honduras”, do cineasta brasileiro Dado Galvão. O filme trata das restrições à liberdade de expressão em diferentes países e tem Yoani Sánchez como entrevistada. Um trecho de 11 minutos deveria ter sido exibido na Bahia na segunda-feira (18), mas a apresentação foi suspensa devido a manifestações de simpatizantes do regime dos irmãos Raúl e Fidel Castro.

De acordo com Roberto de Lucena: “Yoani Sánchez é uma voz em defesa das minorias em Cuba, que fala em nome dos cubanos mantidos em prisões ou cotidianamente submetidos ao calvário de arbitrariedades do regime de Fidel Castro”, argumentou.

Roberto de Lucena faz parte da Comissão de Direitos Humanos e minorias da Câmara dos Deputados.

Foto: Pedro Ladeira




Hospitais deverão comunicar ocorrências ligadas ao uso de álcool e drogas por menores

O deputado Dilmo dos Santos (PV)  é autor do Projeto de Lei 34/2013, que determina a comunicação, por parte dos hospitais, clínicas e postos de saúde públicos e privados, das ocorrências envolvendo embriaguez e ou consumo de drogas por criança ou adolescente.

A comunicação deverá ser feita ao Conselho Tutelar, órgão que deverá tomar a providência cabível em cada caso, nos termos previstos do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990).

A falta de comunicação acarretará penalidades desde advertência até o pagamento de multa no valor de cem Ufesps (R$ 1.937), dobrando em caso de reincidência. Os valores arrecadados com as multas deverão ser destinadas às clinicas de recuperação de drogados no Estado.

Para elaborar o PL, Dilmo dos Santos baseou­se em estudo que teve a participação de 5.226 alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio, em 37 escolas. A conclusão foi que, de todas as drogas pesquisadas, o álcool se mostrou, de longe, a mais usada : 40 % dos estudantes haviam bebido no mês anterior à pesquisa, enquanto 10% haviam consumido tabaco, a segunda droga mais prevalente. O álcool é também a droga que começa a ser consumida mais cedo, com média de idade de 12,5 anos. O primeiro consumo de álcool ocorreu em casa para a maior parte dos entrevistados.“O consumo excessivo de álcool é causa de preocupações, angústias e sofrimento para muitas famílias. Quando um de seus membros bebe em excesso, isso pode atrapalhar o convívio e a harmonia familiar”.




Reunião entre Prefeitos Verdes da Grande São Paulo e o Secretário Verde Edson Giriboni marca o início de grandes realizações

Reuniao-entre-Prefeitos-Verdes-da-Grande-Sao-Paulo

Aconteceu dia 14 deste mês, na Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, dirigida pelo Secretário Verde Edson Giriboni, uma reunião com representantes e Prefeitos do Partido Verde da Região Metropolitana de São Paulo. No encontro, que contava com reforço de alguns Deputados da bancada Verde, houve a discussão de questões em comum que são importantes para as cidades da região, como saneamento, habitação e regularização fundiária. Foi uma conversa muito proveitosa!




Deputado Dilmo dos Santos prepara projetos voltados à educação

Deputado-Dilmo-dos-Santos-e-Bruno-UdovicPara aprofundar seu desempenho parlamentar junto às áreas de educação e juventude, o deputado Dilmo Dos Santos (PV) recebeu, na tarde desta terça-feira (5/02), Bruno Udovic, diretor do Instituto Vitale e gestor do Projeto de Musicalização da Sabina Escola Parque do Conhecimento.

A reunião, que aconteceu na Assembleia Legislativa e durou cerca de 1 hora, serviu para discutir diversos projetos ligados às áreas educacional, cultural, artística, meio ambiente/sustentabilidade e científica.

“Tenho muito interesse em colaborar com trabalhos que promovam conhecimento e despertem a curiosidade pela pesquisa, e é nisso que estamos trabalhando com muita dedicação”, explicou Dilmo, que já prepara projetos de lei neste sentido.




300 picaretas e uma pá de cal

ilustra artigo picaretas 6401Impossível passar batido pelo brilhante raciocínio de Fernando Gabeira em seu artigo 300 picaretas e uma pá de cal, publicado no Estadão na última sexta-feira. O ex-deputado verde resgata a música Luiz Inácio (300 Picaretas), dos Paralamas do Sucesso, para fazer uma análise do poder legislativo brasileiro.

Li com atenção a dura crítica de Gabeira e não posso deixar de concordar com cada palavra. O artigo é uma importante leitura para qualquer um que tenha interesse na atual situação política brasileira, à exceção dos bois de Renan e do bode Galeguinho.

Acesse: 300 picaretas e uma pá de cal

Luis Penna – Presidente Nacional do Partido Verde




Nos Últimos 2 anos a direção estadual do PV São Paulo fez de um limão uma limonada

limao pClique para ampliar




Deputado Federal Roberto de Lucena defende o fim do fator previdenciário e pede mais políticas públicas para os idosos

idosos-felizesNo dia 24 de janeiro foi celebrado o Dia do Aposentado, nesse dia comemorei o aumento da expectativa de vida no Brasil, que atualmente conta com aproximadamente 23 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. O fato de o Brasil estar, gradativamente, migrando de um país com maioria jovem para um maior contingente na melhor idade, implica na necessidade de repensar a previdência, políticas públicas para o idoso, saúde, segurança, mercado de trabalho, moda, hábitos, cultura, educação, esporte etc. Precisamos investir na saúde e qualidade de vida dessa população crescente.

Pensando nisso, apresentei ao secretário de Estado do Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, um projeto para a instalação de unidades da Creche do Idoso e do Centro de Convivência do Idoso em Arujá, Santa Isabel e demais cidades do Alto Tietê, por meio de parceria entre Estado e Município.

O projeto da Creche do Idoso – modelo de casa de repouso, na qual os idosos têm suas faculdades psicológicas e físicas estimuladas por meio de diversas atividades recreativas – tem como objetivo atender uma demanda crescente das famílias sem condições de pagar pelo serviço.

Participei de duas reuniões com o secretário de Desenvolvimento Social , Rodrigo Garcia para tratar do tema, ele foi bastante sensível às demandas apresentadas e comprometeu-se em agilizar, na medida do possível, os projetos sociais em favor da população do Alto Tietê.

Na Câmara, defendo o fim do fator previdenciário, responsável pelo achatamento dos ganhos das aposentadorias que impõe aos trabalhadores brasileiros uma perda brutal do seu poder econômico e a diminuição de seu padrão social , consequentemente, qualidade de vida.

Outro ponto importante são os casos tristes de violência contra os idosos. Defendo o agravamento das penalidades impostas às pessoas responsáveis por maus-tratos contra idosos. Para que uma classe que trabalhou a vida inteira, possa na melhor idade aproveitar os direitos pelo qual lutou, e principalmente ter da sociedade brasileira o respeito que tanto merece.

13-11 FOTO OFICIALRoberto de Lucena- Deputado Federal, PV/SP




Governador e Secretario participaram de evento com 79 prefeituras para elaboração de Planos de Saneamento

image1

Na tarde desta  última quinta-feira, 31/janeiro, às 15h, no Palácio dos Bandeirantes, o Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, participou  do evento que dá início aos trabalhos de elaboração dos Planos Municipais de Saneamento das Bacias Hidrográficas Mogi Guaçu e Alto Paranapanema. O evento contou  com a presença do Governador do Estado, Geraldo Alckmin, e 79 prefeitos ou representantes, convidados das UGHRIs – Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos – 09  e 14.

O Plano Municipal de Saneamento é um instrumento essencial para os municípios e tem o objetivo de facilitar às prefeituras o planejamento das ações e investimentos a serem realizados em abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais.

image

A Lei Federal nº 11.455/07 exige que cada município elabore o seu plano de saneamento local e que o Estado os integre aos planos regionais e estadual de saneamento.  Os planos devem contemplar diagnósticos com análise, propostas e definição das necessidades de investimento para a universalização do acesso aos serviços de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais. Para isso, o Governo do Estado criou um Programa Estadual de Apoio Técnico à Elaboração dos Planos Municipais e Regionais de Saneamento.

Com o trabalho iniciado nesta tarde, serão beneficiadas 2,3 milhões de pessoas em 79 municípios, conforme a lista em seguir: Aguaí, Águas da Prata, Águas da Prata, Américo Brasiliense, Araras, Barrinha, Conchal, Cravinhos, Descalvado, Dumont, Engenheiro Coelho, Espírito Santo do Pinhal, Estiva Gerbi, Guariba, Guatapará, Itapira, Jaboticabal, Leme, Lindoia, Luis Antonio, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Monte Alto, Motuca, Pirassununga, Pitangueiras, Pontal, Porto Ferreira, Pradópolis, Rincão, Santa Cruz da Conceição, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Lúcia, Santa Rita do Passa Quatro, Santo Antonio do Jardim, São João da Boa Vista, Serra Negra, Sertãozinho, Socorro, Taquaral, Vargem Grande do Sul (todos da UGRHI 09) e Angatuba, Arandu, Barão de Antonina, Bernardino de Campos, Bom Sucesso de Itararé, Buri, Campina do Monte Alegre, Capão Bonito, Cerqueira César, Coronel Macedo, Fartura, Guapiara, Guareí, Ipaussu, Itaberá, Itaí, Itapetininga, Itapeva, Itaporanga, Itararé, Itatinga, Manduri, Nova Campina, Paranapanema, Pilar do Sul, Piraju, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, São Miguel Arcanjo, Sarutaiá, Taguaí, Taquarituba, Taquarivaí, Tejupá e Timburi (UGHRI 14).